Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de efetores de Xanthomonas citri pv. citri responsáveis pela ativação do sistema imune da planta não-hospedeira Solanum lycopersicum

Processo: 20/04773-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Paulo José Pereira Lima Teixeira
Beneficiário:Caio Vinícius Cardoso Mendes
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Imunologia   Cancro (doença de planta)   Sistema imune   Interações hospedeiro-patógeno   Xanthomonas citri   Solanum lycopersicum   Agrobacterium tumefaciens   Experimentos científicos

Resumo

Plantas são resistentes à vasta maioria dos patógenos existentes nos meios que habitam e a ocorrência de doenças pode ser considerada uma exceção à regra. A resistência contra patógenos não-adaptados é denominada de resistência de não-hospedeiro e é caracterizada pelo fato de todos os indivíduos de uma dada espécie de planta serem resistentes a todos os isolados de um patógeno. Os mecanismos moleculares que determinam a resistência de não-hospedeiro ainda são pouco conhecidos. Experimentos realizados em nosso laboratório revelaram que a planta não-hospedeira Solanum lycopersicum (tomateiro) exibe forte resposta de hipersensibilidade (HR) quando inoculada com a bactéria Xanthomonas citri pv. citri 306 (Xcc306), causadora do cancro cítrico. Tal resposta imune requer a presença de proteínas efetoras do patógeno no interior da célula vegetal, uma vez que é inexistente em plantas inoculadas com o mutante ” (delta) hrpB2, o qual tem o funcionamento do sistema de secreção do tipo III comprometido. Estes resultados sugerem que a HR observada em tomateiro seja parte de uma resposta imune denominada Effector Triggered Immunity (ETI), que ocorre quando um ou mais efetores do patógeno são reconhecidos por receptores imunes da planta. Assim, esse projeto tem como objetivo avaliar se, de fato, algum efetor de Xcc306 é reconhecido pelo tomateiro. Para isso, a planta será exposta a cada um dos 30 efetores de Xcc306 individualmente através de expressão transiente mediada por Agrobacterium tumefaciens. Efetores que resultarem em HR serão então transformados em Xanthomonas gardineri, espécie naturalmente patogênica em tomateiro. Caso os efetores de Xcc306 sejam reconhecidos pelo sistema imune desta planta, espera-se que X. gardineri se torne avirulenta e cause HR nas folhas inoculadas, comprovando a ocorrência de ETI. Os resultados deste projeto contribuirão para o entendimento de mecanismos de resistência de não-hospedeiros, possibilitando ainda a futura identificação de potenciais receptores imunes efetivos contra X. citri. (AU)