Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da puberdade no desenvolvimento de linguagem expressiva avaliada por meio de mensuração automatizada de produções orais

Processo: 20/01091-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Sabine Pompéia
Beneficiário:Breno Pedroni
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Puberdade   Desenvolvimento da linguagem   Desenvolvimento cognitivo   Inteligência   Cognição

Resumo

No início da adolescência ocorrem transformações cerebrais associadas ao desenvolvimento puberal que resultam em amadurecimento cognitivo, que é afetado também por nível socioeconômico (NSE). Raramente, porém, a puberdade é considerada um fator nesse amadurecimento, geralmente avaliado por efeitos da idade cronológica, com testes em laboratório em populações com médio/alto NSE de países desenvolvidos. Pretende-se avaliar o efeito do desenvolvimento puberal/cronológico e efeito do NSE na cognição com uma medida ecológica: variáveis linguísticas de produções orais. O estudo será transversal em uma amostra de conveniência proveniente de Projeto Temático FAPESP nº 2016/14750-0: 300 jovens com desenvolvimento típico de 9 e 15 anos (fase em que ocorre a puberdade) de ambos os sexos e de variados contextos socioeconômicos. Eles realizarão uma tarefa de reconto oral de fábula, cuja transcrição será usada para gerar 180 métricas indicativas de expressão oral com a ferramenta computadorizada gratuita Coh-Metrix Port. As métricas serão então reduzidas a componentes principais. Com o fito de identificar o amadurecimento de aspectos de produção oral nessa faixa etária e os fatores que o influenciam, efeitos de sexo, NSE, idade ou puberdade serão analisados para cada componente. A validade convergente das medidas será estabelecida pela relação entre os componentes principais e escores em medidas indicativas de inteligência da escala de Inteligência Wechsler abreviada. Assim, será possível identificar a eficácia dessas formas ecológicas de avaliar a cognição e fatores demográficos/puberais que a afetam. (AU)