Busca avançada
Ano de início
Entree

Disponibilidade de fósforo para a cultura do feijão em função da aplicação de silício em latossolo

Processo: 20/04323-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2021
Vigência (Término): 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Marcio Roberto Soares
Beneficiário:Ingrid Martins Stelutti
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Assunto(s):Fertilidade do solo   Desenvolvimento vegetal   Latossolos   Adubação   Phaseolus vulgaris   Feijão   Adsorção   Biometria   Análise de variância   Delineamento experimental

Resumo

A cultura do feijão (Phaseolus vulgaris) deixou de ser considerada de subsistência e se tornou uma das culturas agrícolas mais rentáveis com o uso de tecnologias. Uma das principais limitações ao crescimento e desenvolvimento vegetal do feijoeiro em solos brasileiros ácidos e altamente intemperizados é a baixa biodisponibilidade de P na solução do solo, devido à fixação do fósforo (P) aos coloides do solo e à formação de compostos insolúveis com ferro e alumínio. Uma das alternativas para aumentar a eficiência das adubações fosfatadas é o uso de ânios competidores pelos sítios de adsorção do fosfato, tais como o silicato. A adição de Si ao solo pode ocorrer pela prática da rochagem, pela aplicação de pó de rochas silicatadas considerado subproduto da mineração. O objetivo deste trabalho é avaliar o efeito da aplicação de fontes e doses de Si sobre a disponibilidade de P para a cultura do feijão (variedade BRS Estilo - Embrapa) em Latossolo Vermelho. O experimento será conduzido em casa de vegetação, em vasos de 5 dm-3, com delineamento em blocos casualizados arranjado em um esquema fatorial 4x2+1, com 9 repetições. Os tratamentos incluem 4 doses (0, 200, 400 e 800 kg ha-1) e duas fontes de Si (convencional - ácido silícico; alternativa - pó de rocha silicatada). A adubação com P será feita conforme recomendação para cultivo no Estado de São Paulo. A adsorção de P pelas amostras de solo com diferentes doses e fontes de Si será avaliada por experimentos de laboratório tipo batch, utilizando doses crescentes de P (0, 40, 80, 120, 160, 200, 240, 280, 320, 400 mg L-1). Os resultados serão ajustados ao modelo de Langmuir, utilizando o software Visual MINTEQ. Aos 90 dias após a emergência, serão avaliados os seguintes parâmetros: altura de plantas, massa seca de parte aérea, número de vagens por planta, comprimento das vagens, número de grãos por vagem e peso de cem grãos. Os resultados de biometria das plantas serão submetidos a análise de variância (ANOVA), e, se significativa pelo teste F (p < 0.05), as médias dos tratamentos serão analisadas pelo teste Scott-Knott (p < 0.05).