Busca avançada
Ano de início
Entree

O ethos discursivo como gestão da autoria: análise do objeto editorial Turma da Mônica: Romeu e Julieta

Processo: 20/05343-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Luciana Salazar Salgado
Beneficiário:Ana Paula Slompo
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Produção editorial   Ethos   Projeto editorial   Análise do discurso   Estudos literários

Resumo

Tendo como base o quadro teórico de Análise do Discurso de tradição francesa, a partir das propostas de Dominique Maingueneau (2006) para a análise do funcionamento discursivo em materiais literários, neste projeto pretendemos estudar o objeto editorial Turma da Mônica: Romeu e Julieta (2015), fazendo a hipótese de que seu estudo é uma contribuição para a investigação de um expediente recorrente na produção editorial contemporânea, na cultura da propagabilidade (JENKINS, 2014). Para isso, será mobilizado o conceito de mídium (DEBRAY, 1993), retomado por Maingueneau no estudo da paratopia criadora (2006), levando em conta as instâncias pessoa, inscritor e escritor na constituição da autoria, sempre relacionadas a certos tipos de mídiuns. Nossa hipótese se especifica com a observação do seguinte problema: na edição comemorativa lançada em 2015, há uma mudança de ethos discursivo (MAINGUENEAU, 2008) dos personagens trazidos para os quadrinhos, decorrente do processo de adaptação ligado à mudança de autoria. Visto que características essenciais dos personagens da Turma da Mônica mantêm-se na adaptação, exatamente por seu aspecto caricato, humorístico e infantil, o que os afasta das características associadas aos personagens da história original (a própria ideia de origem está posta em questão), queremos verificar como, nesta releitura de uma história consagrada, existem mudanças significativas decorrentes do ethos discursivo pré-existente dos personagens da história que se toma como origem, que são modificados e conjugados ao ethos do conjunto de personagens de outras histórias, em conjunto com as mudanças na condições de produção e de circulação. Importa observar como as manobras editoriais incidem sobre a produção de sentidos e a autoria é, nesse processo, uma gestão. (AU)