Busca avançada
Ano de início
Entree

Combinação das técnicas de eletrocoagulação e fotocatálise/fotoeletrocatálise visando maior eficiência no tratamento de água produzida de petróleo

Processo: 20/02877-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Maria Valnice Boldrin
Beneficiário:Luís Henrique Araújo Grecco
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50945-4 - INCT 2014: Instituto Nacional de Tecnologias Alternativas para Detecção, Avaliação Toxicológica e Remoção de Micropoluentes e Radioativos, AP.TEM
Assunto(s):Petróleo   Tratamento de águas residuárias   Hidrocarbonetos aromáticos   Eletroanalítica   Fotocatálise   Fotoeletrocatálise   Eletrocoagulação   Técnicas de química analítica

Resumo

O petróleo é de grande importância no setor econômico mundial visto que é matéria prima para a produção de uma série de produtos de alto valor agregado como combustíveis e lubrificantes. A sua extração origina grandes volumes de um resíduo denominado água produzida de petróleo, o qual apresenta elevado nível de toxicidade devido a ocorrência de hidrocarbonetos aromáticos com efeitos mutagênicos e carcinogênicos comprovados, tais como compostos fenólicos, BTEX (Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno e Xileno) e etc. Com o propósito de contribuir para a atenuação dos potenciais danos desse rejeito, o presente projeto visa estudar e otimizar o acoplamento inédito das técnicas de eletrocoagulação e fotoeletrocatálise no tratamento da água residual de petróleo. Para isso pretende-se montar, em um mesmo reator, sistemas: eletroquímico com eletrodos de titânio, no caso da eletrocoagulação, e fotoeletroquímico com fotoanodo de nanotubos de dióxido de titânio, no caso da fotoeletrocatálise. Os resíduos produzidos da eletrofloculação serão ainda calcinados e investigados como nova fonte de material a ser testado em sistemas fotocatalíticos. A fim de otimizar esse novo método, parâmetros experimentais, tais como: densidade de corrente; agitação; pH inicial e tempo de reação no caso da eletrocoagulação e pH inicial; potencial aplicado e tempo de reação no caso da fotoeletrocatálise, serão variados e o desempenho dos processos avaliados por medidas de: demanda bioquímica de oxigênio (DBO); demanda química de oxigênio (DQO); carbono orgânico total (COT); turbidez e quantificação de BTEX. (AU)