Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do eugenol e deidrodieugenol no estresse oxidativo em modelo experimental de enfisema pulmonar

Processo: 20/06217-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Carla Máximo Prado
Beneficiário:Julia Barbara da Silva Machado
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiopatologia   Doença pulmonar obstrutiva crônica   Estresse oxidativo   Elasticidade   Enfisema pulmonar   Eugenol   Técnicas histológicas   Modelo experimental

Resumo

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma doença progressiva, caracterizada pela limitação do fluxo de ar devido a anormalidades das vias aéreas e alvéolos, geralmente causada por exposição a partículas e gases nocivos, principalmente decorrente ao tabagismo. A DPOC abrange tanto a bronquite crônica quanto o enfisema, este último, objeto do presente estudo. O enfisema pulmonar é uma anormalidade anatomopatológica que resulta em destruição do parênquima pulmonar, fechamento de pequenas vias aéreas e perda da elasticidade pulmonar. Os pulmões são expostos a diversos oxidantes, sejam gerados de forma endógena ou exógena, e o desequilíbrio entre oxidantes e antioxidantes ocasiona o estresse oxidativo, um dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos no enfisema. Portanto, estudos com compostos com potencial antioxidante são de extrema relevância. O eugenol (4-alil-2-metoxifenol) é um composto fenólico presente em óleos brutos de diversas plantas com propriedades terapêuticas anti-inflamatórias e antioxidantes. O deidrodieugenol ou bis-eugenol é uma estrutura dimérica sintetizada a partir dos compostos monoméricos, com efeitos benéficos já comprovados em outros modelos de inflamação pulmonar. Objetivos: Este estudo visa analisar se o eugenol e o seu dímero bis-eugenol, que possuem capacidades antioxidantes e anti-inflamatórias, terão efeitos no estresse oxidativo induzido por elastase em modelo experimental de enfisema pulmonar. Metodologia: Os camundongos C57BL/6 receberão instilação de elastase no dia 0. O tratamento com eugenol e o seu dímero bis-eugenol será realizado por instilação intraperitoneal nos dias 0, 07, 14, 21 e 28. Após 28 dias, os animais serão eutanasiados, os pulmões retirados e submetidos à técnicas histológicas, para avaliar o diâmetro alveolar médio, as células inflamatórias no parênquima pulmonar e ao redor das vias aéreas, e a expressão de enzimas oxidantes e antioxidantes. As análises estatísticas serão realizadas pelo programa Sigma Stat. Os testes paramétricos ou não paramétricos serão aplicados de acordo com a distribuição dos dados obtidos na curva de normalidade, e por isso serão posteriormente escolhidos. Resultados esperados: Considerando os estudos realizados até o momento por nosso grupo de pesquisa em modelo de enfisema e também in vitro, espera-se que a administração destes compostos possa ter efeitos no estresse oxidativo ocasionado em modelo experimental de enfisema pulmonar.