Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação comportamental e histológica de modelo animal de Síndrome de Down

Processo: 20/08015-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Convênio/Acordo: APAE São Paulo
Pesquisador responsável:Daniele de Paula Faria
Beneficiário:Manuella Penido Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/15167-1 - Neuroimagem translacional na deficiência intelectual: avaliação de alterações moleculares associadas ao envelhecimento na Síndrome de Down, AP.JP
Assunto(s):Histologia   Envelhecimento   Síndrome de Down   Doença de Alzheimer   Modelos animais de doenças

Resumo

A Síndrome de Down (SD) é uma alteração cromossômica, considerada a causa mais comum de retardo mental. Caracterizada pela presença adicional de um cromossomo 21, os indivíduos com a síndrome, além de características físicas observáveis, estão mais propensos ao desenvolvimento de problemas de saúde, como o envelhecimento precoce, que acarreta a doença de Alzheimer (DA). A DA é uma doença neurodegenerativa progressiva, e a forma mais comum de demência associada à idade, podendo ser definida pela presença de depósitos beta-amiloides e emaranhados neurofibrilares, que são responsáveis pela deterioração das funções cognitivas (linguagem, orientação, atenção e memória) e das funções motoras. A crescente expectativa de vida para pessoas com SD e a ausência de intervenções medicamentosas com a capacidade de cessar ou prevenir o avanço da DA, reforça a importância dos estudos e do acompanhamento do envelhecimento em animais transgênicos para SD. O objetivo deste projeto será compreender e acompanhar as alterações moleculares causadas pelo processo de envelhecimento em animais modelo SD. Para esse fim, serão utilizados como ferramenta: testes comportamentais, com a finalidade de avaliar as memórias de curto e longo prazo, e técnicas de imuno-histoquímica, que serão realizadas com anticorpos específicos em diferentes momentos da vida dos animais. Os dados obtidos serão analisados, a fim de promover a identificação das alterações precocemente, deste modo, o estudo contribuirá para o desenvolvimento de novas intervenções terapêuticas com o intuito de cessar, prevenir e/ou retardar a DA . (AU)