Busca avançada
Ano de início
Entree

Tecnologias de informação e comunicação na socialização para sexualidade e nas estratégias educativas para a promoção da saúde sexual e reprodutiva em escolas públicas do ensino médio

Processo: 20/01264-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:Vera Silvia Facciolla Paiva
Beneficiário:Valéria Nanci Silva
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/25950-2 - Vulnerabilidades de jovens às IST/HIV e à violência entre parceiros: avaliação de intervenções psicossociais baseadas nos direitos humanos, AP.TEM
Assunto(s):Promoção da saúde   Saúde reprodutiva   Tecnologias da informação e comunicação   Jovens   Estudantes de ensino médio   Prevenção de doenças transmissíveis   AIDS   COVID-19   Direitos humanos

Resumo

A pesquisadora é psicóloga com mestrado em Medicina Preventiva em grupo de pesquisa dedicado à violência contra a mulher e doutorado em Psicologia Social com pesquisa-intervenção em territórios quilombolas com agentes de prevenção para HIV/Aids e relações raciais. Atuou por quase duas décadas como psicologia social em programas governamentais e comunitários de prevenção das IST/AIDS, uma experiência relevante para estar na articulação das miniequipes das escolas onde a intervenção se realizará, articulada aos centros de saúde que serão referência no território para acesso aos recursos necessários à prevenção combinada (camisinha, contraceptivos, testagem, Profilaxia Pós-Exposição, e nesse contexto de epidemia, prevenção e atenção à COVID-19). Importante observar que, como fruto da conjuntura politica de retrocesso nos temas tratados no temático, já relatados à FAPESP, diminuímos o campo em Sorocaba e Santos e acrescentamos dois sítios em São Paulo, onde essa bolsista PD estará centralmente alocada, com disponibilidade para circular entre os campos, como se esperava no edital para a vaga (ver Processo de Seleção, documento anexo).Como se observou no estudo preliminar, em análise, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) participam intensamente, na socialização e construção da sexualidade dos jovens que chegam ao ensino médio: facilitam os encontros afetivos-sexuais, o acesso aos discursos sobre sexualidades e gêneros. Ao mesmo tempo, facilitam acesso aos conteúdos eróticos/ pornográficos) e a interações tóxicas e violentas envolvendo o cyberbullying (discriminações étnico-raciais, orientação sexual, de gêneros e religiosas). As TIC participam dos processos educativos e comunicação, são fonte de informação, muito vezes pouco confiáveis, mas podem ser utilizadas nas intervenções psicossociais voltados à promoção da saúde sexual e reprodutiva, baseadas em evidências científicas, que considerem a cultural juvenil típicas de cada cenário escolar e território programático. A intervenção prevê que materiais de promoção da saúde integral e prevenção serão desenvolvidos, inclusive usando TIC e as redes sociais, serão desenvolvidos ao longo da intervenção a ser implementada, com participação ativa dos estudantes, tarefa liderada pela bolsista. O foco em TIC é especialmente relevante no contexto da COVID-19.O objetivo de seu estudo específico no âmbito do projeto temático que integrará será: compreender os modos pelos quais as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e redes sociais participam da socialização para a sexualidade e para a prevenção das IST/AIDS e da promoção da saúde integral de estudantes no ensino médio em cenários e territórios socialmente vulneráveis em Santos, Sorocaba e São Paulo. A etnografia ancora o desenvolvimento do projeto temático e deste estudo de pós-doutorado proposto, possibilitando, ao mesmo tempo, a produção de uma "descrição densa" das cenas e cenários que se modificarão em cada escola e território e como resultado da intervenção implementada. Este estudo articulará os procedimentos de coleta de dados mais qualitativos ao longo das intervenções e oficinas (observações-participante, entrevistas individuais e/ou coletivas - grupos focais) e os que resultarão em análises estatísticas que avaliarão o impacto das intervenções (questionários pré e pós intervenção).Com base em experiências anteriores, e em pesquisas com o uso de metodologias mistas a bolsista estará envolvida centralmente com a co-coordenação da etnografia e das intervenções psicossociais previstas, liderando as oficinas e coleta de dados sobre o tema, assim como as publicações resultantes. Colaborará especialmente na análise interseccional dos seus resultados, com foco em relações raciais e de gênero que domina bem, e à luz do quadro dos direitos humanos que informa o projeto. (AU)