Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos tardios do uso de cafeína no sono de crianças nascidas prematuras

Processo: 19/26409-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Vânia D'Almeida
Beneficiário:Ana Carolina Nunes de Oliveira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neonatologia   Nascimento prematuro   Recém-nascido   Apneia   Sono REM   Cafeína   Inquéritos e questionários   Registros médicos

Resumo

O nascimento prematuro é o principal fator de risco para a morbimortalidade infantil e estima-se que correspondam a cerca de 11,5% dos partos no Brasil. O término da gestação antes do período adequado culmina na interrupção da evolução normal do recém-nascido podendo levar à apneia da prematuridade que é tratada com cafeína. A cafeína inibe competitivamente os receptores de adenosina prolongando a latência, reduzindo o tempo total e eficiência do sono. Estudos sugerem que a inibição prolongada dos receptores de adenosina pela cafeína no cérebro em desenvolvimento pode afetar adversamente a duração do sono e a apneia do sono durante a infância. O sono em recém-nascidos é divido em quieto e ativo que assemelha-se ao sono não REM e REM, respectivamente. Quanto mais prematuro for o neonato mais indefinido será o padrão do sono podendo ocasionar problemas. Esse estudo pretende avaliar seo uso da cafeína por prematuros durante o período neonatal associa-se a alterações nos hábitos de sono e à presença de apneia obstrutiva do sono e comparando-os com crianças que não usaram cafeína e com crianças nascidas a termo por meio de análise de prontuários, questionários sobre hábito de sono e apneia validados em português e adequados à faixa etária. (AU)