Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do desmatamento na dinâmica sedimentar do Rio Taquari (MS)

Processo: 20/07432-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Fabiano Do Nascimento Pupim
Beneficiário:Beatriz Silva Fernandes
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Geomorfologia   Ecossistemas fluviais   Morfologia fluvial   Desmatamento   Planejamento ambiental   Mapa geomorfológico   Mapeamento   Bacias sedimentares   Rio Taquari

Resumo

Ações antropogênicas têm alterado rapidamente a cobertura e uso do solo na região da Bacia do Alto Rio Paraguai (BAP) desde a década de 1970, afetando a produção de sedimentos nas vertentes e impactando diretamente os rios que drenam para a planície do Pantanal. No entanto, estudos que quantifiquem os impactos das atividades antrópicas nos processos sedimentares dos sistemas fluviais da BAP ainda são escassos, impossibilitando o entendimento da resposta dos rios frente as mudanças ambientais passadas e em curso. Procurando preencher parte dessa lacuna de pesquisa, o presente projeto tem como objetivo investigar a resposta geomorfológica e sedimentar do Rio Taquari frente ao desmatamento e a mudança no uso da terra de sua bacia hidrográfica ocorridos desde a década de 1970. A estimativa de mudanças na carga sedimentar do rio ao longo do tempo será realizada por meio do mapeamento e quantificação de barras fluviais usando série temporal de produtos de sensoriamento remoto. O mapeamento das barras fluviais será realizado por meio de interpretação visual de fotografias aéreas e imagens de satélite em cinco períodos distintos nos últimos 50 anos. Dados referentes ao desmatamento e mudança no uso da terra serão obtidos da literatura. A comparação entre indicadores geomorfológicos (número e área das barras fluviais) e taxas de desmatamento e mudanças no uso da terra ao longo do mesmo período possibilitarão avaliar qual a relação entre esses processos. Os resultados obtidos possibilitarão compreender como mudanças no uso da terra impactam os rios, contribuindo como suporte para ações de gerenciamento e planejamento ambiental mais adequadas. (AU)