Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção de novos alcalóides do tipo-iboga em Tabernaemontana litoralis

Processo: 20/03376-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Adriana Aparecida Lopes
Beneficiário:Lyamara Mendonça de Souza Oliveira
Instituição-sede: Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Campus Ribeirão Preto. Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Produtos naturais   Plantas medicinais   Biossíntese   Alcaloides

Resumo

Plantas, microrganismos e insetos biossintetizam pequenas moléculas complexas, chamadas "produtos naturais". Para nossos propósitos, isso significa que esses metabólitos são um recurso rico para uma ampla gama de aplicações, incluindo o desenvolvimento de produtos farmacêuticos, inseticidas, herbicidas, biomateriais e fontes de bioenergia. Os metabólitos secundários denominados "alcaloides" são agentes promissores frente a ensaios biológicos e são produzidos por uma ampla gama de plantas e insetos. Um grupo de alcaloides denominados "alcaloides do tipo-iboga" despertam interesse pois apresentam uma série de atividades biológicas como: antioxidante, inibição enzimática, antitumoral e citotóxica, anti-inflamatória, antinociceptiva, neurofarmacológica, cardiovascular, antiprotozoária, antimicrobiana, antibacteriana, antifúngica e antiviral. A espécie Tabernaemontana catharinensis A. DC. é uma espécie medicinal brasileira que biossintetiza estes alcalóides do tipo-iboga como a indolina hidroxi-voacangina e a rupicolina, e que inibem a enzima acetilcolinesterase (AChE) na mesma concentração (0,01 mM) dos dois inibidores de AChE atualmente utilizados na terapia da doença de Alzheimer (galantamina e fisostigmina). Além desta, a espécie Tabernaemontana litoralis também apresenta alcaloides indólicos, sendo a 18-hidroxipseudovincadiformina, coronaridina, heyneanina e 3,19-oxidocoronaridina os compostos majoritários. Sabemos que uma nova diversidade química abre muitas possibilidade de novas atividades biológicas. Sendo assim, o objetivo deste projeto de pesquisa é gerar novos análogos dos alcalóides do tipo-iboga clorados utilizando a abordagem de biossíntese dirigida pelo precursor (BDP) utilizando Tabernaemontana litoralis. A obtenção de novos análogos clorados pode gerar moléculas ainda mais ativas do ponto de vista biológico que o próprio alcaloide natural. (AU)