Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da suplementação com ômega 3 sobre a hepatotoxicidade e nefrotoxicidade induzida pela doxorrubicina em Ratos Wistar

Processo: 20/01080-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luís Fernando Barbisan
Beneficiário:Sara Gomes Espírito Santo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia clínica   Suplementação alimentar   Ácidos graxos ômega-3   Hepatotoxicidade   Estresse oxidativo   Análise toxicológica   Imuno-histoquímica   Ratos Wistar

Resumo

O uso do quimioterápico doxorrubicina (DOX), frequentemente recomendado para o tratamento de vários tipos de tumores sólidos humanos, leva a vários efeitos adversos, incluindo a cardiotoxicidade, hepatotoxicidade e nefrotoxicidade. Vários mecanismos estão relacionados a sua toxicidade sistêmica, sendo o aumento do estresse oxidativo um dos mecanismos mais importantes. A busca por intervenções dietéticas que amenizem esses efeitos colaterais é pertinente. Assim, o estudo avaliará os efeitos protetores da suplementação com ômega 3 (É-3) sobre a hepatotoxicidade e nefrotoxicidade induzida pela DOX em ratos. Ratos Wistar machos (n=40) serão alocados em 4 grupos experimentais (10 animais/grupo): controle, É-3, DOX e DOX+É-3. O É-3 (400 mg/kg/dia) será administrado diariamente via gavagem por seis semanas consecutivas. Após duas semanas do início da administração de É-3, será iniciada administração de DOX (3,5 mg/kg, ip, 1x/semana) durante quatro semanas, totalizando 6 semanas de experimento. Ao final do experimento, os animais serão eutanasiados para coleta de sangue, fígado e rins. Será realizada análise de genotoxicidade (ensaio do cometa) em sangue periférico e análises bioquímicas em amostras séricas (alanina aminotransferase, creatinina e ureia). Será realizada análise histopatológica (HE) em ambos órgãos, assim como a morfometria de colágeno (Picro Sirius red) e reações de imunoistoquímica para Ki-67 (proliferação), histona H2A.X fosforilada (dano ao DNA) e caspase-3 (apoptose). A análise de estresse oxidativo (hidroperóxidos de lipídio), assim como avaliação dos níveis proteicos de Bcl-2, NF-ºB e Nrf2 (immunoblotting) também serão realizados em ambos os órgãos. Os dados de incidência serão analisados pelo teste de Qui-Quadrado ou teste exato de Fisher. Os demais dados, por One-Way ANOVA ou Kruskal-Wallis. O nível de significância adotado será de p<0,05.