Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro de checkpoints imunológicos em carcinoma espinocelular de língua tratados com baixas doses de 5-FU e GLPS associados

Processo: 20/03617-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Marcela Rodrigues de Camargo
Beneficiário:Emmanuelle Nascimento Quagliato
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Imuno-oncologia   Carcinoma de células escamosas   Checkpoint imunológico   Microambiente tumoral   Citocinas   Antineoplásicos   Biomarcadores   Imunossupressores   Imunomodulação   Técnicas in vitro

Resumo

O carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço (HNSCC, do inglês head and neck squamous cell carcinoma) é atualmente o sexto no ranking de malignidades do mundo, ainda assim, frequentemente os pacientes sofrem com a reincidência do tumor e metástases. Conhecidas como células tronco-tumorais (CSCs, do inglês cancer stem cells), esse grupo específico de células são conhecidas pela sua alta taxa de proliferação e autorrenovação, sendo apontadas como as principais responsáveis pelas metástases. Em estudos anteriores do grupo, células de carcinoma espinocelular de língua (SSC-9) tratadas com baixas doses de 5-Fluoracil (5-FU) associado ao GLPS (polissacarídeos do cogumelo Ganoderma lucidum) apresentaram a redução da proliferação celular, modificação na formação de esferas e colônias (características das CSCs) e ainda foi capaz de inibir a migração dessas células tumorais. O tratamento com o quimioterápico 5-FU já é bem estabelecido no tratamento do câncer de cabeça e pescoço, mas os polissacarídeos do G. lucidum apresentam várias atividades imunomoduladoras que envolve tanto a imunidade humoral, quanto a celular e a produção de citocinas, podendo apresentar atividades antiangiogênicas e antiproliferativas. Levando em consideração que o microambiente tumoral é caracteristicamente imunossupressor, o objetivo desse estudo é verificar se a associação do GLPS com o 5-FU é capaz de tornar esse microambiente favorável a uma resposta antitumoral efetiva, desta forma será analisada a expressão de marcadores imunológicos (HLA e PD-L1) e a liberação de citocinas imunossupressoras e imunoestimulantes (TNF-±, VEGF, IL-2, IFN-³ e IL-12).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)