Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito das fibras alimentares do mamão papaia em modelo de co-cultura 3D de células de Câncer de Cólon e em modelo in vivo de ratos com Carcinogênese de Cólon quimicamente induzida

Processo: 19/18794-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Joao Paulo Fabi
Beneficiário:Janaina Lombello Santos Donadio
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07914-8 - FoRC - Centro de Pesquisa em Alimentos, AP.CEPID
Assunto(s):Pectinas   Neoplasias colorretais

Resumo

O consumo de fibras alimentares (FA) tem sido relacionado com a diminuição da incidência do câncer de cólon. As frutas, como o mamão papaia, são alimentos ricos em pectinas, que constituem a fração FA do alimento. O mamão papaia possui um amadurecimento muito rápido, com consequente amolecimento da polpa e modificação das estruturas de suas FA. Além disso, as FA do mamão papaia têm sido relacionadas a diversos efeitos biológicos benéficos (como diminuição da proliferação celular) de uma maneira estrutura-dependente quando estudada em cultura bidimensional (2D) utilizando células de câncer. No entanto, ainda não se sabe quais os efeitos das diferentes estruturas das FA do mamão papaia em modelos experimentais mais complexos, como modelo de carcinogênese in vivo utilizando cobaias e em cultura tridimensional (3D) de células humanas de câncer de cólon. Assim, a presente proposta de projeto tem como objetivos avaliar os efeitos fisiológicos do consumo das FA do mamão papaia verde e maduro em ratos com lesões pré-neoplásicas de cólon assim como avaliar os efeitos das pectinas do mamão papaia verde e maduro em co-cultura 3D de esferoides utilizando células de câncer de cólon (HCT116 e HT29) e fibroblastos humanos (CCD-18Co). Para isso, ratos serão induzidos quimicamente a desenvolver lesões pré-neoplásicas e serão alimentados com as FA dos mamões verdes e maduros, sendo que a metabolização das FA consumidas pelos ratos e a produção de metabólitos como os ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) serão avaliados. Já as pectinas dos mamões verdes e maduros serão utilizadas nos tratamentos da co-cultura celular 3D sendo que serão avaliados a evolução do tumor no modelo 3D, a viabilidade celular e a expressão de algumas proteínas envolvidas nesse processo. Desse modo, será possível analisar se os efeitos estrutura-dependente das FA permanecem em dois modelos mais complexos do que apenas a cultura celular bidimensional. Do ponto de vista da saúde, os resultados obtidos poderão expandir o conhecimento de como as alterações estruturais das FA durante o amadurecimento impactam em seus efeitos sobre o desenvolvimento do câncer de cólon. Do ponto de vista tecnológico e comercial, a elucidação da relação entre estrutura e atividade das pectinas podem abrir uma nova perspectiva para a prospecção de novos suplementos e alimentos funcionais. (AU)