Busca avançada
Ano de início
Entree

Reprodutibilidade da palpação vaginal na diferenciação da contração voluntária dos músculos do assoalho pélvico e correlação com manometria e dinamometria

Processo: 19/20382-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Cristine Homsi Jorge Ferreira
Beneficiário:Joelma Queiroz da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde da mulher   Reprodutibilidade   Contração muscular   Músculos   Assoalho pélvico   Palpação   Manometria   Estudo clínico

Resumo

Os músculos do assoalho pélvico (MAP) formam a base da pelve e cavidade abdominal e atuam na sustentação dos órgãos pélvicos, função esfincteriana (trato urinário e anorretal), função sexual e estabilização lombo-pélvica. Uma avaliação adequada da função, força e integridade é de grande importância no diagnóstico e tratamento das disfunções. Dentre as técnicas de avaliação dos MAP encontramos palpação digital, manometria e dinamometria. Este estudo tem como objetivo primário verificar reprodutibilidade intraexaminador da palpação vaginal e da dinamometria na aferição da função muscular em mulheres com e sem disfunções dos MAP; e secundários, comparar os resultados da palpação vaginal, manometria e dinamometria na diferenciação da capacidade de contração dos MAP, utilizando a palpação vaginal como referência, além de comparar o nível de desconforto gerado pelos três métodos de avaliação. Trata-se de um estudo clínico de teste reteste. As participantes serão avaliadas por meio de palpação vaginal, manometria e dinamometria, em ordem aleatorizada. Serão solicitadas três contrações máximas dos MAP para cada método de avaliação, onde o valor mais alto de cada método será considerado. A análise dos dados será descritiva, onde será feito o cálculo da reprodutibilidade intraexaminador para a contração voluntária máxima (considerando o valor mais alto das três contrações voluntárias máximas para cada um dos métodos de avaliação). A reprodutibilidade será analisada usando o valor Kappa e o erro padrão (SE) para o teste de palpação vaginal e o coeficiente de correlação intraclasse (ICC) e intervalos de confiança (CI) de 95% para as pressões vaginais de repouso e contração (contração voluntária máxima e resistência).