Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de biossensores eletroquímicos para diagnóstico precoce de câncer de mama

Processo: 20/03015-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Valtencir Zucolotto
Beneficiário:Beatriz Gusson
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Nanomedicina   Neoplasias mamárias   Diagnóstico precoce   Espalhamento   Técnicas biossensoriais   Voltametria cíclica   Espectroscopia de impedância eletroquímica

Resumo

O câncer de mama (CM) é o segundo tipo de câncer que mais acomete mulheres. Em 2018, foram 2,1 milhões de novos casos mundialmente, sendo 59.700 destes apenas no Brasil. O diagnóstico no estágio inicial da doença é um fator crucial para aumentar as chances de sobrevida do paciente. Atualmente, o diagnóstico é feito por mamografia e biópsia do tecido. Entretanto, esses métodos requerem infraestrutura laboratorial e recursos humanos especializados, tornando o processo caro e demorado. Por esse motivo, novos biomarcadores estão sendo investigados para o diagnóstico da doença, como a proteína Del-1 presente em exossomos provenientes de células mamárias tumorais. Nesse projeto, propõe-se um sistema de detecção de exossomos para o diagnóstico de câncer de mama. Eletrodos de ouro serão modificados com anticorpos contra a proteína CD63, presente em exossomos gerais para a captura dos mesmos. Em seguida, nanopartículas de ouro (AuNps) funcionalizadas com anticorpos anti-Del1 serão utilizadas para a marcação dos exossomos provenientes de células cancerosas. As etapas serão monitoradas pelas técnicas de voltametria cíclica e impedância eletroquímica. As AuNps serão sintetizadas pelo método de redução com citrato e caracterizadas por espalhamento dinâmico de luz (DLS), análise de rastreamento de nanopartículas (NTA), potencial Zeta e espectroscopia por UV-Vis. Para os testes de especificidade, serão cultivadas células cancerosas de tumor de mama, fígado e pulmão; seus exossomos serão extraídos por ultracentrifugação e quantificados por DLS e NTA. Ao final, espera-se obter resultados promissores para a detecção precoce, não invasiva e point-of-care do CM através de um imunossensor sensível, rápido e de baixo custo.