Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da ativação elétrica do nervo do seio carotídeo na resposta inflamatória induzida pela colite

Processo: 20/08221-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Helio Cesar Salgado
Beneficiário:Jefferson Icaro Soares
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/20549-7 - Avanços na regulação cardiocirculatória em condições fisiológica e fisiopatológica, AP.TEM
Assunto(s):Doenças inflamatórias intestinais   Colite   Sistema gastrointestinal   Resposta inflamatória   Estimulação elétrica   Seio carotídeo   Barorreflexo   Quimiorreflexo   Pressão sanguínea   Modelos animais de doenças

Resumo

As doenças inflamatórias intestinais, como a Colite Ulcerosa e Doença de Crohn, são caracterizadas pela inflamação crônica do sistema gastrointestinal. Não há cura permanente, entretanto, a neuromodulação induzida pela estimulação nervosa elétrica tem sido usada com sucesso para tratamento. Contudo, pouco se sabe sobre a ativação barorreflexa e quimiorreflexa na modulação da colite. Assim, esse estudo objetiva avaliar a influência da estimulação elétrica do nervo do seio carotídeo (NSC), em ratos acordados, sobre as respostas inflamatórias, local e sistêmica, observadas em ratos com colite induzida por administração via retal de ácido acético. Procurar-se-á, então, analisar: os parâmetros hemodinâmicos; citocinas inflamatórias plasmáticas e na mucosa colônica; alterações estruturais e a expressão do NF-ºB no cólon. Para tanto, os ratos receberão cateter na artéria femoral e eletrodo no NSC. Após 48h, os eletrodos serão conectados a um estimulador elétrico e será feito o registro da pressão arterial. Posteriormente, os ratos serão anestesiados e submetidos à indução da colite pela administração de ácido acético por via retal. Após 24h, será feita a coleta de sangue pela cânula na artéria femoral e os animais serão eutanasiados para coleta do cólon. Parte do cólon será avaliada macroscopicamente, e microscopicamente, e será removida, também, a mucosa colônica para quantificação de TNF-±, IL-1², IL-6 e IL-10. Além disso, será avaliada a expressão de NF-kB colônica. Assim, postula-se neste projeto que a ativação elétrica do NSC possa vir a ser, também, uma abordagem eletrocêutica para o tratamento da colite.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: