Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão transiente de uma cistatina de citrus utilizando o vetor CTV (Citrus Tristeza Vírus) visando à resistência a Diaphorina citri, inseto vetor da doença Huanglongbing (HLB)

Processo: 18/20823-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Andrea Soares da Costa Fuentes
Beneficiário:Sâmara Vieira Rocha
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Cistatinas   Citrus   Diaphorina citri   Greening (doença de planta)   Controle de pragas

Resumo

A citricultura brasileira é uma das mais importantes atividades agrícolas para a economia nacional. O Brasil é hoje o principal produtor de laranja do mundo e o maior exportador de suco de laranja concentrado e congelado. Os pomares de citros vêm sendo constantemente atacados por diversas pragas e patógenos, que causam sérios danos às plantas e, conseqüentemente, uma expressiva queda na produtividade. A doença denominada Huanglongbing vem causando sérios prejuízos à citricultura, pois as plantas contaminadas apresentam menor tamanho dos frutos, maior grau de acidez e menor porcentagem de suco. Esta doença é causada pela bactéria CLas Candidatus Liberibacter spp que coloniza os vasos do floema e é transmitida às plantas de citros pelo psilídeo Diaphorina citri, uma praga que vem se disseminando nos últimos anos, sem um método de controle eficiente. Na ausência de estratégias de controle da bactéria CLas, a ênfase tem sido no controle de D. citri. Uma alternativa para controlar a incidência desta doença nos pomares de citros seria o desenvolvimento de plantas resistentes ao inseto Diaphorina citri. O desenvolvimento de plantas superexpressando inibidores de proteases é uma abordagem que vem sendo amplamente utilizada no controle de pragas, visto que estes inibidores de proteases têm se mostrado capazes de inibir proteases presentes no intestino de insetos. Assim, pretende-se neste projeto, inserir a cistatina de Citrus sinensis (CsinCPI-2) em vetor CTV (Citrus Tristeza Vírus) e expressar de forma transiente em citrus. Espera-se que, essas plantas possam se tornar resistentes a este inseto através da capacidade de expressar em grande quantidade essas proteínas relacionadas à defesa. Ensaios biológicos com o psilídeo Diaphorina citri, serão realizados utilizando as plantas com a expressão transiente de cistatinas. Desta forma, esperamos que estes estudos possam contribuir com estratégias que possam ajudar a atenuar o HLB. (AU)