Busca avançada
Ano de início
Entree

Impactos ambientais do óleo na costa leste do litoral nordeste brasileiro: toxicidade de sedimentos sobre organismos aquáticos e risco ambiental

Processo: 20/04779-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Denis Moledo de Souza Abessa
Beneficiário:Maysa Ueda de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Sedimentos   Ecotoxicologia   Toxicidade   Óleos   Desastres ambientais   Impactos ambientais   Nordeste

Resumo

Desde agosto de 2019, grandes quantidades de óleo começaram a aparecer nas praias da costa do nordeste brasileiro, espalhando-se ao longo do litoral, por milhares de quilômetros e atingindo praias, recifes de coral, estuários, costões rochosos e outros ambientes. Sendo contínua a chegada de pequenas quantidades de óleo. Uma forma de quantificar os impactos causados por um derramamento de óleo é fundamental conhecer os efeitos tóxicos associados aos seus componentes nos diferentes compartimentos ambientais, como água e sedimento. Este projeto visa determinar a toxicidade gerada pela chegada do óleo ao litoral de alguns estados brasileiros, considerando amostras de sedimento obtidas em ambientes costeiros do NE brasileiro. Também pretende-se avaliar se haverá toxicidade após o término do evento e realização de ações de limpeza, visando assim determinar possíveis efeitos de longo prazo e a eficiência das ações de limpeza. Amostras obtidas durante o evento de chegada do óleo à costa serão analisadas para determinação das quantidades de hidrocarbonetos alifáticos e policíclicos aromáticos. Além disso, outra alíquota será caracterizada quanto à toxicidade. Com as frações aquosas (elutriatos ou interface sedimento-água) serão realizados ensaios de toxicidade sobre desenvolvimento embrionário de ouriço do mar Echinometra lucunter. Já amostras de sedimento integral serão avaliadas para toxicidade sobre anfípodo Tiburonella viscana e o copépodo Nitocra sp. Além disso, os resultados químicos e ecotoxicológicos serão integrados por meio de correlações múltiplas e análises multivariadas. Os resultados químicos e ecotoxicológicos serão espacializados, através de mapas em SIG, visando determinar a relação entre a chegada do óleo em cada local e os níveis de contaminação e toxicidade. A identificação do grau de contaminação e toxicidade desses óleos permitirá uma avaliação mais apurada do impacto causado pelo óleo na coluna d'água e nos sedimentos após o derramamento ocorrido na costa brasileira desde agosto de 2019. (AU)