Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmicas de mudança no uso da terra em áreas de mineração de ouro artesanal e de pequena escala na Amazônia Brasileira

Processo: 20/07985-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Convênio/Acordo: Belmont Forum
Pesquisador responsável:Lúcia da Costa Ferreira
Beneficiário:Luciana Massaro
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/50033-6 - Transformações para a sustentabilidade na mineração de ouro artesanal e em pequena escala: uma perspectiva multi-ator e trans-regional, AP.R
Assunto(s):Garimpagem   Desenvolvimento sustentável

Resumo

A mineracao artesanal e em pequena escala e uma atividade impulsionada pela pobreza, encontrada principalmente em areas remotas dos paises em desenvolvimento. Ao mesmo tempo, esta atividade representa o meio de subsistencia de milhoes de pessoas e tem potencial para contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentavel das Nacoes Unidas. Uma compreensao de como a dinamica da mineracao no Brasil pode levar as transformacoes em direcao a sustentabilidade demanda uma analise das divisoes espaciais e sobreposicoes territoriais que considere as caracteristicas historicas locais e regionais do uso da terra. Este projeto de pesquisa de pos- doutoramento visa desenvolver uma investigacao interdisciplinar e espacial nas multiplicidades das interacoes homem-ambiente no contexto da mineracao de ouro em pequena escala. Os objetivos principais sao: i) mapear as mudancas no uso e na cobertura da terra ocasionadas pela atividade garimpeira em relacao com as outras atividades presentes no territorio atraves de imagens de satelite de tres regioes da Amazonia brasileira (Lourenco, AP; Tapajos, PA e Peixoto de Azevedo, MT); ii) analisar as consequencias da mineracao como meio de subsistencia local por meio da comparacao entre os dados obtidos pelo sensoriamento remoto e a pesquisa social a ser realizada na regiao. A partir de uma analise de como as comunidades locais estao organizadas em relacao a distribuicao espacial dos recursos e dos processos de extracao mineral, se torna interessante entender quais sao as tensoes que surgem entre as comunidades em relacao ao uso da terra; como diferentes atores sociais (garimpeiros, fazendeiros, comunidades indigenas, etc.) se relacionam e se sobrepoem numa mesma regiao; qual e o papel do estado (nos seus diversos niveis) em relacao aos atores locais e como esta relacao se traduz num conflito para a ocupacao da terra. (AU)