Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão gênica diferencial dos transcriptomas de túbulos de Malpighi de Melipona scutellaris expostos ao tiametoxam

Processo: 20/03527-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Pesquisador responsável:Osmar Malaspina
Beneficiário:Lucas Miotelo
Instituição-sede: Centro de Estudos de Insetos Sociais (CEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/21097-3 - Interações abelha-agricultura: perspectivas para a utilização sustentável, AP.TEM
Assunto(s):Ecotoxicologia   Agrotóxicos   Neonicotinóide   Tiametoxam   Abelhas   RNA mensageiro   Sequenciamento

Resumo

No Brasil o consumo de agrotóxicos tem se intensificado destacando-se o uso da classe dos neonicotinóides. O tiametoxam, pertencente a esta classe, é utilizado em culturas agrícolas brasileiras e seu uso indiscriminado, afeta insetos não alvo como as abelhas. A atual avaliação de risco para polinizadores é feita utilizando espécies do gênero Apis como modelo, no entanto a preocupação com espécies de abelhas sem ferrão aumentou nos últimos anos. Nesse sentido, Melipona scutellaris vem sendo utilizada como novo modelo para estudos de toxicidade de agrotóxicos sobre abelhas sem ferrão. Contudo, até o momento não existem dados moleculares que elucidem os efeitos do tiametoxam sobre M. scutellaris. Dessa forma, o presente projeto visa realizar uma análise de expressão gênica diferencial dos túbulos de Malpighi de abelhas campeiras M. scutellaris expostas à CL50/100 do tiametoxam por meio da análise transcriptômica. Será extraído o RNA total dos órgãos expostos após um e oito dias ao tiametoxam e enviados para sequenciamento em larga escala Illumina - RNA-Seq. Os reads obtidos serão pré-processados e identificados os genes diferencialmente expressos nas condições do tratamento, caracterizando essa alteração e relacionando esses resultados com vias metabólicas utilizadas pela abelha para detoxificação. Essa abordagem irá contribuir para a descoberta de novos genes e possíveis rotas metabólicas utilizadas por M. scutellaris quando exposta ao tiametoxam. (AU)