Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do preparo químico-mecânico associado à terapia fotodinâmica na redução da carga microbiana, LPS, LTA, substância p e citocinas pró-inflamatória nas infecções endodônticas primárias

Processo: 19/09115-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes
Beneficiário:Esdras Gabriel Alves e Silva
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/23479-5 - Microbiomas e aspectos imunobiológicos nas infecções endodônticas, AP.TEM
Assunto(s):Endotoxinas   Terapia fotodinâmica   Canal radicular   Lipopolissacarídeos   Fatores de virulência   Bactérias gram-negativas

Resumo

Lipopolissacarídeo (LPS) ou endotoxina é o principal fator de virulência das bactérias Gram-negativas e é capaz de estimular as células a produzirem citocinas pró-inflamatórias envolvidas na destruição tecidual periapical, enquanto que o ácido lipoteicóico (LTA) é um dos fatores de virulência das bactérias Gram-positivas. A terapia fotodinâmica (PDT) é um método complementar da desinfecção do canal radicular (CR), além de ter sido utilizado para o tratamento de diversos tipos de dor. Deste modo, os objetivos desse trabalho são: a) Estudar a microbiota dos CRs antes e após o preparo químico-mecânico (PQM) (grupo experimental e controle), após o PDT (grupo experimental) e após 07 dias do PQM (grupos controle e experimental), pelo método de Checkerboard DNA-DNA hybridization; b) Monitorar o efeito do PQM (grupo experimental e controle) e da PDT (grupo experimental) nos níveis de bactérias cultiváveis através da contagem de unidades formadoras de colônia (UFC/mL); c) Quantificar níveis de LPS, LTA, substância P e citocinas pró-inflamatórias IL1-² e TNF-± dos CR antes e após o PQM (grupo experimental e controle), após o PDT (grupo experimental) e após 07 dias do PQM (grupos controle e experimental), através de LAL Pyrogent 5000 e ELISA, respectivamente; d) Correlacionar achados clínicos com o conteúdo microbiológico, níveis de LPS, LTA, substância P e citocinas pró-inflamatórias IL1-² e TNF-±; e) Monitorar a redução de uma possível dor pós-operatória com e sem o uso do PDT através de escala visual analógica e acompanhamento telefônico do paciente nos períodos de 4, 8, 12, 24, 72 horas e 1 semana. Serão selecionados 20 pacientes com dentes apresentando polpa necrosada e lesão periapical, divididos aleatoriamente em dois grupos: grupo controle (n=10) tratamento endodôntico convencional sem PDT, e o grupo experimental (PDT, n=10), onde após o PQM será realizado o PDT. As amostras dos CRs serão coletadas com cones de papel estéreis/ apirogênicos e a seguir congeladas para futuras análises. A quantificação de LPS será realizada através do método de LAL, enquanto que a do LTA, substância P e citocinas pró-inflamatórias IL1-² e TNF-± por ELISA. Todos os resultados obtidos, assim como os aspectos clínicos dos dentes envolvidos, serão tabulados em Excel e posteriormente analisados estatisticamente por softwares específicos. (AU)