Busca avançada
Ano de início
Entree

Ecologia do movimento e relações funcionais em inimigos naturais de Spodoptera frugiperda

Processo: 20/09495-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Convênio/Acordo: Koppert Brasil
Pesquisador responsável:Wesley Augusto Conde Godoy
Beneficiário:Maysa Pereira Tomé
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/02317-5 - Centro de Excelência em Controle Biológico, AP.PCPE
Assunto(s):Melhoramento genético vegetal

Resumo

As plantas geneticamente modificadas expressando toxinas Bt têm sido uma importante ferramenta no controle de pragas lepidópteras, como S. frugiperda. Após a ingestão da planta Bt, os insetos suscetíveis são eliminados e os remanescentes, resistentes e heterozigóticos, persistem no ambiente. A tecnologia deve garantir que organismos não-alvo, como predadores e parasitoides, não sejam prejudicados. Todavia, a existência de custo adaptativo nos genótipos resistente e heterozigótico, pode refletir em mudanças comportamentais ou bioquímicas, que resultariam em alterações nas interações tróficas. Entretanto, existem poucas informações sobre os aspectos envolvidos na interação entre os genótipos de S. frugiperda e seus inimigos naturais. Estudos da dinâmica de movimentação de pragas e comportamento de parasitoides e predadores, no contexto comparativo entre plantas Bt e não-Bt, podem fornecer informações sobre a vulnerabilidade da praga em campo. Uma das formas de fazer inferências sobre a ação dos inimigos naturais sobre suas presas e hospedeiros, é através de experimentos de resposta funcional, que emprega parâmetros que precedem o sucesso da interação entre esses organismos tornando-a uma ferramenta relevante para o controle biológico; e análises comportamentais. Assim, o presente projeto objetiva: (i) verificar se há diferença entre os padrões ecológicos da resposta funcional dos inimigos naturais diante dos genótipos suscetível, resistente e heterozigoto de S. frugiperda; (ii) avaliar a taxa de parasitismo de C. flavicincta sobre os três genótipos de hospedeiro; (iii) verificar a relação comportamental de P. nigrispinus e C. flavicincta, no tocante as ações de ataque diante dos três genótipos da praga; (iv) propor um modelo computacional que investigue cenários especificos em paisagens agrícolas envolvendo a movimentação de S. frugiperda. Os bioensaios de resposta funcional de P. nigrispinus e C. flavicincta serão realizados em condições de laboratório, onde os genótipos de S. frugiperda serão oferecidos em diferentes densidades, por 24 horas. Posteriormente, haverá a contabilização das presas mortas e parasitadas pelo predador e parasitoide. O experimento será conduzido em delineamento de blocos ao acaso com cinco repetições e a análise de dados será feita de acordo com o ajuste das equações de Holling para respostas funcionais do tipo II e III. Análises de comportamento serão feitas a partir de rastreamento de vídeo por meio do software EthoVision®. A análise do movimento de S. frugiperda no cenário proposto, será estudada a partir do desenvolvimento de um autômato celular, escrito em linguagem computacional C. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)