Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da hiperglicemia materna associada à nutrição inadequada na preferência alimentar dos descendentes

Processo: 20/03604-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Ana Carolina Inhasz Kiss
Beneficiário:Gustavo Venâncio da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Hiperglicemia   Modelo experimental   Ingestão de alimentos   Suscetibilidade   Modelos animais de doenças

Resumo

Alterações na nutrição e no metabolismo materno podem aumentar a susceptibilidade da prole à obesidade e diabete. A alimentação pós-natal pode contribuir para o desenvolvimento de distúrbios metabólicos principalmente em animais que se desenvolveram em um ambiente intrauterino alterado. Quando vários alimentos estão disponíveis, a ingestão alimentar é influenciada pela escolha dos alimentos, isto é, a preferência alimentar, e sabe-se que a alimentação materna pode influenciar a essa escolha na prole. No entanto, os efeitos da associação entre hiperglicemia materna e nutrição inadequada na preferência alimentar dos descendentes ainda não foram explorados. Nossa hipótese é que a nutrição materna inadequada irá agravar a intolerância a glicose de ratas hiperglicêmicas e que essa alteração irá modificar o desenvolvimento dos circuitos neurais envolvidos na preferência alimentar dos descendentes de maneira mais pronunciada do que as já vistas para modelos experimentais de nutrição materna inadequada somente. Além disso, nosso estudo irá avaliar machos e fêmeas em diferentes fases da vida (infância e vida adulta) e avaliar a preferência pelos principais macronutrientes através de dietas hiperproteicas, hiperglicídicas e hiperlipídicas, sendo que a maioria dos estudos disponíveis atualmente utiliza dietas hiperlipídicas e hipercalóricas, apenas. Dados preliminares mostraram que o modelo experimental de administração de STZ foi eficaz para induzir hiperglicemia materna e que o consumo de petiscos exacerbou esse efeito. Estudos prévios do laboratório mostram que a presença da hiperglicemia materna durante a prenhez e lactação altera o desenvolvimento dos circuitos cerebrais responsáveis pela ingestão alimentar dos descendentes, com esse efeito permanecendo até a vida adulta, o que reforça nossa hipótese de que a escolha qualitativa de alimentos também será afetada.