Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos efeitos do celecoxibe sobre lesões cerebrais causadas pela hidrocefalia experimental

Processo: 20/07505-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Luiza da Silva Lopes
Beneficiário:Maurício Dutra
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neurocirurgia   Hidrocefalia   Neurologia   Neuroinflamação

Resumo

A hidrocefalia, é uma condição neurológica caracterizada por alterações do fluxo do líquido cefalorraquidiano (LCR). O bloqueio da circulação liquórica resulta em aumento dos ventrículos cerebrais e subsequente distorção do tecido cerebral. O tratamento mais utilizado é a cirurgia de derivação ventrículo-peritoneal (DVP). No entanto, como nem todos os pacientes podem ser tratados cirurgicamente logo após o diagnóstico e nem todos os pacientes tratados possuem reversão completa das lesões, medidas de neuroproteção podem ser úteis. A distorção do tecido cerebral tem efeitos deletérios que incluem gliose, fluxo sanguíneo cerebral prejudicado e uma importante resposta neuro-inflamatória, os quais envolvem a ciclooxigenase-2 (COX-2) e a geração de prostaglandinas. Estudos experimentais em modelos animais mostraram que o bloqueio farmacológico da COX-2 com inibidores seletivos confere neuroproteção. Diante disso, o objetivo deste trabalho será avaliar se o uso de celecoxibe, inibidor seletivo da COX-2, em ratos pode oferecer benefícios para as estruturas cerebrais afetadas pela neuroinflamação na hidrocefalia. Serão utilizados ratos Wistar Hannover submetidos à hidrocefalia por injeção intracisternal de caulim 15% aos sete dias de idade. Os animais serão divididos em cinco grupos de estudo com dez animais cada e, para avaliação da resposta ao tratamento, serão realizados testes de comportamento, estudos histológicos e imunoistoquímicos. Os resultados obtidos poderão indicar se o celecoxibe pode ser uma medida de neuroproteção complementar ao tratamento cirúrgico da hidrocefalia.