Busca avançada
Ano de início
Entree

Criando uma plataforma para a agricultura sustentável em espaços urbanos

Processo: 20/11212-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Milton Yukio Godoy Saito
Beneficiário:Milton Yukio Godoy Saito
Empresa:Milton Yukio Godoy Saito
CNAE: Horticultura
Atividades de apoio à agricultura
Vinculado ao auxílio:19/01050-8 - Criando uma plataforma para a agricultura sustentável em espaços urbanos, AP.PIPE
Assunto(s):Agricultura urbana   Agricultura sustentável   Ambientes urbanos   Segurança alimentar   Plataforma (computação)   Hortaliças   Consumo de alimentos   Reciclagem   Resíduos orgânicos   Compostagem

Resumo

Atualmente, os alimentos viajam grandes distâncias desde as regiões onde são produzidas, processadas até os consumidores finais - "Food miles" é o termo cunhado por Tim Lang no início dos anos 1990 referindo-se a essa distância. Ao longo dos trajetos, custos e desperdícios bem como os impactos ambientais são consideravelmente elevados. Grande parte dos consumidores estão nos centros urbanos, e hoje, nenhuma cidade sobrevive de seus próprios meios no que se refere a alimentação. Ademais, o estoque de comida dentro das cidades não ultrapassa três dias ("There are only nine meals between mankind and anarchy." Alfred Henry, 1906). A "greve dos caminhoneiros" que ocorreu no final do primeiro semestre de 2018 evidenciou a insegurança alimentar nas cidades brasileiras e sinalizou que o preço e a disponibilidade de alimentos nas cidades está vinculado ao combustível fóssil. A greve afetou a distribuição de alimento, provocou o aumento nos preços e gerou momentos de pânico na população. O projeto de pesquisa consiste em desenvolver uma plataforma para produção de hortaliças em espaços urbanos capaz que fornecer de uma forma contínua, automática e abundante, alimentos frescos para o consumo humano. Os direcionadores para o desenvolvimento da plataforma são os conceitos de fazendas verticais, sustentabilidade e internet das coisas. A plataforma é tecnologicamente viável, reciclará os resíduos orgânicos, reduzirá os impactos ambientais provocados a partir da queima de combustível fóssil utilizado no transporte dos alimentos e de outros desperdícios associados à logística, oferecerá segurança alimentar nos centros urbanos além de promover a reciclagem de resíduos orgânicos. O levantamento de áreas dentro dos centros urbanos paulistas apropriadas para uma implantação comercial da plataforma também é um dos objetivos do projeto de pesquisa. (AU)