Busca avançada
Ano de início
Entree

Composição florística e estoques de carbono no estrato arbóreo em áreas de mata atlântica no parque estadual do rio turvo - sp

Processo: 19/22279-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Francisca Alcivania de Melo Silva
Beneficiário:Roberto Vieira Romagnoli
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Registro. Registro , SP, Brasil
Assunto(s):Fitossociologia   Florestas   Restauração   Solos   Uso do solo

Resumo

A restauração florestal, bem como a manutenção dos remanescentes já existentes, como forma de mitigar a intensificação do efeito estufa, são importantes áreas de estudos, principalmente no que se refere ao conhecimento dos estoques de carbono. Essas informações contribuem de forma decisiva na criação de programas de conservação e manejo de remanescentes florestais, bem como subsidiam programas de restauração de áreas degradadas. Portanto, trabalhos que visem quantificar o carbono fixado em florestas nativas e em restauração são de grande relevância, especialmente pela escassez de estudos nessas áreas. Dado o presente contexto, o trabalho tem como objetivo a realização do levantamento florístico e estimativa dos estoques de biomassa e carbono no estrato arbóreo de duas áreas de restauração de 9 e 7 anos com diferentes históricos de uso anterior localizadas no Parque Estadual do Rio Turvo - SP. Em cada área foram demarcadas seis parcelas com dimensões de 4 x 25 m (100 m²), de acordo com a metodologia do Pacto da Mata Atlântica. Em cada parcela serão inventariados todos os indivíduos plantados e regenerantes com com DAP e 2,5 cm, a 1,30 m do solo, medindo-se DAP (Diâmetro Acima do Peito) e altura. As espécies serão organizadas em listagens por famílias, grupos sucessionais (pioneiros e não pioneiros) e síndrome de dispersão (anemocóricas, zoocóricas e autocóricas). Como descritores fitossociológicos serão calculados: número de indivíduos (N), densidade (D), densidade relativa (DR), frequência relativa (FR), dominância (Do), dominância relativa (DoR) e valores de importância organizados em um índice (IVI). Com a utilização de outros descritores, também serão determinados: índice de diversidade de Shannon (H'); índice de dominância de Simpson (D); e índice de similaridade de Jaccard (Sj). A biomassa viva acima do solo de cada indivíduo arbóreo (em kg) será estimada nas unidades amostrais pelo método não-destrutivo, empregando-se a equação alométrica Biomassa = exp (-2,134 + 2,53 * ln DAP). Para estimar o valor de carbono na parte aérea, os valores de biomassa serão multiplicados pela constante de 0,5. Com esse estudo, espera-se avaliar a influência da fertilidade do solo e do uso anterior nos estoques os estoques de carbono na vegetação, bem como contribuir para o conhecimento desses estoques em áreas de restauração em Floresta Ombrófila Densa Sumontana.