Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação da irisina no controle cardiorrespiratório e metabólico de ratos adultos

Processo: 20/02918-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luciane Helena Gargaglioni Batalhão
Beneficiário:Mariana Bernardes Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Fenômenos fisiológicos respiratórios   Metabolismo   Ventilação   Hormônios   Exercício físico   Plasticidade neuronal

Resumo

A irisina é um hormônio constituído por 112 aminoácidos recém-identificado, derivado de uma proteína transmembrana codificada pelo gene fibronectina tipo III contendo 5 (FNDC5), que está altamente relacionado à atividade metabólica do músculo esquelético e do tecido adiposo, possuindo uma similaridade de 100% entre ratos e humanos. Sabe-se que a concentração da irisina aumenta durante o exercício físico trazendo efeitos benéficos para vários tecidos, inclusive para o sistema nervoso, promovendo neuroplasticidade, uma vez que a irisina parece estar associada a proliferação e diferenciação neural. Recentemente também foi demonstrado que esse hormônio modula as funções cardiovasculares, sugerindo que a irisina pode servir como um importante mensageiro entre os órgãos para integrar o gasto de energia com a atividade cardiovascular. A expressão e atuação da irisina em vários tecidos demonstra seu papel importante nos diversos sistemas fisiológicos, no entanto, pouco se sabe sobre a participação da irisina no controle cardiorrespiratório e metabólico basal frente às condições adversas como hipóxia e hipercapnia. Desta forma, o objetivo do presente estudo será verificar a participação da irisina nas vias centrais e periféricas no controle cardiorrespiratório e metabólico durante a normóxia normocápnica, hipóxia e hipercapnia em ratos adultos. (AU)