Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de hamsters sírios (Mesocricetus auratus) como modelo experimental de infecção e doença por SARS-CoV-2

Processo: 20/09149-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Ana Marcia de Sá Guimarães
Beneficiário:Antonio Francisco de Souza Filho
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:20/07251-2 - Avaliação de hamsters sírios (Mesocricetus auratus) como modelo experimental de infecção e doença por SARS-CoV-2, AP.R
Assunto(s):COVID-19   Coronavirus da síndrome respiratória aguda grave 2   Infecções por Coronavirus   Pandemias   Distanciamento social   Modelos animais de doenças   Mesocricetus auratus

Resumo

O SARS-CoV-2, ou Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2, é uma zoonose emergente identificada na China no final de 2019 responsável por causar uma pneumonia atípica. Em apenas dois meses o vírus atingiu todos os continentes, sendo detectado em indivíduos presentes em mais de 190 países/regiões. A pandemia tem tido efeitos catastróficos na população, sistemas de saúde, bem-estar social e econômico. Quatro medidas são priorizadas para contê-la: distanciamento social, diagnóstico, tratamento e vacinas. As duas primeiras medidas já estão em efeito em diversos países do mundo, enquanto ainda se buscam formas efetivas de tratamento e candidatos vacinais. Para que moléculas candidatas de tratamento e prevenção possam ser avaliadas, torna-se necessário o desenvolvimento de um modelo animal de SARS-CoV-2 que possa mimetizar a doença observada em humanos. Assim, o objetivo deste projeto é avaliar o hamster sírio (Mesocricetus auratus) como modelo de infecção e doença pelo SARS-CoV-2 utilizando parâmetros clínicos, hematológicos, histopatológicos e de replicação viral. Hamsters foram escolhidos pois constituem a espécie animal mais promissora depois de primatas não humanos e ferrets, uma vez que os cononavirus são espécie-específicos, além de alguns grupos de pesquisa já terem apresentado sucesso neste modelo no último mês. Serão utilizados 24 Hamsters Sírios, machos de 11 semanas, sendo que 12 serão infectados com SARS-Cov-2 em 12 permanecerão não infectados (placebo), para avaliar a infecção e possível desenvolvimento de doença por parâmetros clínicos, hematológicos, histopatológicos e de replicação viral. O experimento durará 14 dias e grupos de 6 animais (3 infectados e 3 não infectados) serão eutanasiados nos dias 2, 5, 7 e 14 pós-infecção para coleta de amostras. (AU)