Busca avançada
Ano de início
Entree

Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real (RT-PCR) para detecção laboratorial do vírus da Hepatite E em pacientes submetidos a transplante de fígado

Processo: 19/27328-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Luiz Fernando Aranha Camargo
Beneficiário:Paulo Gabriel Thomaz Matias da Silva
Instituição-sede: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE). Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Transplante de fígado   Infectologia

Resumo

O vírus da hepatite E (HEV) é um vírus de RNA de transmissão fecal-oral com cinco diferentes subtipos que podem infectar e causar doença em humanos. A Organização Mundial da Saúde estima que haja 3,3 milhões de pessoas infectadas pelo HEV, e que 56.000 óbitos anuais ocorram em decorrência de doenças causadas pelo vírus, sobretudo em países subdesenvolvidos com baixo acesso a saneamento básico de qualidade. No Brasil há poucas informações ainda com dados de prevalência variados, mas que apontam para um recente crescimento no número de infectados no país. O HEV pode causar desde doença hepática aguda ictérica autolimitada ou assintomática até quadros graves de hepatite fulminante com falência hepática em mulheres grávidas. Nos pacientes imunossuprimidos, em especial transplantes de órgãos sólidos (SOT), não é incomum o desenvolvimento de doença crônica - caracterizada pela permanência do HEV no sangue ou nas fezes do paciente por mais de 3 meses -, que pode levar à cirrose hepática. Em transplantados hepáticos a ocorrência de doença crônica e cirrose é particularmente importante, não havendo dados sobre infecção por HEV neste grupo no Brasil. Como ferramenta essencial para o diagnóstico da infecção por HEV, sobretudo nos pacientes imunossuprimidos que muitas vezes não realizam soroconversão adequada, a pesquisa de HEV RNA no sangue e nas fezes depende de testes de reação em cadeia de polimerase (PCR) e reação de cadeia de polimerase em tempo real (RT-PCR) com boa sensibilidade e especificidade. Nos testes comercias, a sensibilidade varia de 83% a 100%. O presente estudo tem como objetivo avaliar a frequência da detecção RNA por RT-PCR em amostras sequenciais de pacientes submetidos a transplante de fígado para determinar frequência de infecção primária, transmissão pelo enxerto e reativação da infecção pelo Vírus da Hepatite E em receptores de transplantes hepáticos. Trata-se de um estudo prospectivo com coleta sistemática de sangue para realização de sorologia anti-HEV (IgM e IgG), RT-PCR quantitativo e genotipagem para o HEV, envolvendo pacientes transplantados consecutivos durante um ano no Hospital Municipal Vila Santa Catarina - Dr. Gilson de C. Marques de Carvalho localizado em São Paulo. Serão incluídos pacientes maiores de 18 anos, submetidos a transplante hepático no HIAE, que concordarem com os termos do estudo e assinarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) por um período de um ano.