Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanoemulsões contendo terpenos como potenciais larvicidas e repelentes contra Aedes aegypti (Linnaeus, 1762)

Processo: 19/25125-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Marlus Chorilli
Beneficiário:Jonatas Lobato Duarte
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Sesquiterpenos   Nanotecnologia farmacêutica

Resumo

O Aedes aegypti L. é um inseto de grande importância médica pois é o transmissor de diversas doenças que causam grandes problemas à saúde publica mundial, como a dengue, zica, chikungunya e malária. As principais formas de evitar a infecção por esses vírus são a utilização de repelentes e de agentes larvicidas que eliminem as larvas do inseto. Derivados de plantas medicinais são utilizados desde tempos imemoriais como inseticidas e repelentes, principalmente os óleos essenciais (OE). Os constituintes de OE são terpenos, principalmente monoterpenos e sesquiterpenos, substâncias de baixo peso molecular. Dentre os terpenos com ação inseticida e repelente, destacam- se o mirceno e o cimeno. Todavia, apresentam baixa solubilidade em água e baixa estabilidade, características que inviabilizam sua utilização. Dessa forma, a nanotecnologia surge como estratégia para melhorar a solubilidades dessas substâncias em água, além da proteção e entrega desses ativos. Dentre os sistemas nanoestruturados, destacam-se as nanoemulsões, dispersões de gotículas oleosas estabilizadas por um agente emulsificante em água. Esses sistemas permitem a entrega de ativos, melhoram a absorção e permitem a suspensão de ativos lipofílicos em ambientes aquosos. Diante do exposto o objetivo deste trabalho será desenvolver nanoemulsões contendo os terpenos cimeno e mirceno com potencial atividade larvicida e repelente frente Ae aegypti L. Serão feitas uma serie de formulações utilizando método de baixo aporte de energia, as quais serão caracterizadas quanto aspecto visual, tamanho de partícula, Índice de polidispersão, distribuição do tamanho e a densidade do número de partículas, potencial zeta, morfologia, viscosidade , eficiência de encapsulação, liberação e permeação cutânea. As formulações selecionadas serão avaliadas quanto a citotoxicidade, toxicidade frente a modelo de Galeria e zebra Serão verificadas ainda as atividades larvicida e repelente frente o mosquito Aes aegypti. Espera-se a partir deste trabalho desenvolver formulações promissoras e com potencial para o controle do Ae. aegypti L.