Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de processos eletroquímicos para a remoção de poluentes emergentes usando uma fase de pré-concentração

Processo: 20/03052-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Artur de Jesus Motheo
Beneficiário:Rodrigo de Mello
Supervisor no Exterior: Manuel Andrés Rodrigo Rodrigo
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad de Castilla-La Mancha, Ciudad Real (UCLM), Espanha  
Vinculado à bolsa:18/16308-8 - Obtenção e caracterização de nanomateriais híbridos a partir de nanofibras eletrofiadas e avaliação de sua eficiência frente a oxidação eletroquímica da atrazina, BP.DR
Assunto(s):Conservação da água   Tratamento de água   Desorção   Adsorção (tratamento de água)   Contaminantes emergentes   Antropia

Resumo

A água é o recurso natural mais necessário para a sobrevivência e a manutenção da vida. No entanto, este se encontra ameaçado por ações antrópicas e pela poluição química. O avanço da ciência e o desenvolvimento de tecnologias cada vez mais sensíveis ao reconhecimento de contaminantes, mesmo em baixa concentração, permitiram descobrir que o tratamento convencional da água não é capaz de remover completamente alguns contaminantes altamente tóxicos para os seres humanos, como pesticidas, produtos farmacêuticos, substâncias usadas em produtos de cuidados pessoais e outros. Esse tipo de contaminante é chamado de poluentes emergentes (EP's) e é encontrado em corpos d'água em concentrações na faixa de 5Íg L-1. A oxidação eletroquímica tem se mostrado um maneira eficiente de tratar águas residuais contendo diferentes classes de poluentes, incluindo os EPs. No entanto, o consumo de energia é muito alto quando o poluente é encontrado em baixa concentração, uma vez que o processo de degradação de muitos compostos segue uma cinética de pseudo-primeira ordem. Portanto, uma solução para esse problema é uma etapa de pré-concentração do contaminante e, em seguida, tratar a solução com o poluente concentrado. Este projeto tem como objetivo analisar a possibilidade de uso de carvão ativado granular como material adsorvente para pré-concentrar a Clindamicina, um antibiótico considerado EP. O mecanismo de adsorção será elucidado pela caracterização física do material adsorvente e pelo uso de modelos de equilíbrio e de cinética disponíveis na literatura. O processo eletroquímico será otimizado pela análise dos parâmetros, como densidade de corrente, eletrólito, temperatura e pH. (AU)