Busca avançada
Ano de início
Entree

Qual a performance de modelos comparativos filogenéticos quando eventos de especiação por "budding" são frequentes?

Processo: 19/27212-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Tiago Bosisio Quental
Beneficiário:Daniel Caetano da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Filogenia molecular   Modelagem   Macroevolução

Resumo

O conhecimento sobre a relação filogenética entre as linhagens de um grupo nos possibilita estudar padrões e processos evolutivos, além de levar em conta fatores históricos responsáveis por características compartilhadas entre linhagens. A consideração destas relações de parentesco causou mudanças fundamentais na forma que estudamos biologia. A integração da história evolutiva de populações e espécies se tornou crucial tanto para o estudo de macroevolução em tempo profundo quanto para responder questões ecológicas e evolutivas diversas. Neste contexto os métodos comparativos filogenéticos (PCMs) são fundamentais, e, portanto, são amplamente utilizados para ajudar no estudo de uma diversidade de questões usando tanto filogenias quanto o registro fóssil. No entanto, faz-se necessário avaliar se estes modelos são adequados para responder tais questões e, mais importante, se eles são capazes de retornar estimativas confiáveis sob cenários evolutivos realistas. Esse projeto se propõe a investigar se o modo de especiação têm influência sobre estimativas usando PCMs. Mais especificamente, esse projeto questiona duas premissas da maioria dos métodos comparativos: a) eventos de especiação geram duas linhagens idênticas, com a dissolução da linhagem ancestral, e b) estados ancestrais podem ser estimados utilizando simples médias ponderadas entre os valores dos descendentes. Estes questionamentos advém de estudos paleontológicos que reconhecem que especiação por "budding" pode ser muito frequente, ou seja, que linhagens ancestrais podem sobreviver eventos de especiação e serem observadas em um mesmo intervalo de tempo que seus descendentes diretos. Neste projeto iremos utilizar simulações de computador e dados empíricos de foraminíferos (Protista, Foraminifera), um dos clados com melhor registro fóssil conhecido, para avaliar como eventos de especiação via "budding" podem influenciar estimativas macroevolutivas que utilizam métodos comparativos filogenéticos. Também descrevemos um modelo comparativo inédito que possibilita que taxas de evolução de caracteres mudem em função da idade das linhagens.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: