Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da hepatotoxicidade dos poluentes do Rio Doce através das análises histopatológicas no fígado dos peixes

Processo: 20/09297-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Denis Moledo de Souza Abessa
Beneficiário:Kaori Onishi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Histopatologia   Ecotoxicologia   Doença hepática induzida por substâncias e drogas   Fígado   Pimelodus maculatus   Microscopia óptica   Técnicas histológicas   Rio Doce

Resumo

A Bacia do Rio Doce representa um conjunto de corpos hídricos de grande relevância ambiental e socioeconômica, porém tem sido historicamente impactada por diversas atividades antrópicas. Estudos já demonstraram a elevada concentração de metais na água e no sedimento do rio, além de outros poluentes orgânicos que também são introduzidos e têm sido subestimados ou mesmo ignorados até o momento. Todas essas substâncias podem prejudicar a saúde da biota aquática, especialmente os peixes; nesses organismos o fígado é um órgão-alvo chave no metabolismo dos xenobióticos, e por isso pode ser um indicador de alterações metabólicas e histopatológicas. Este estudo tem como objetivo avaliar a hepatotoxicidade em peixes do Rio Doce através da histopatologia do fígado de indivíduos das espécies Rhamdia quelen e Pimelodus maculatus, coletados em 8 diferentes localidades ao longo da bacia. Os peixes foram coletados (15 por ponto), pesados e sacrificados, e os fígados foram removidos e fixados. Para a análise do tecido, lâminas serão preparadas com cortes de 5 micrômetros de espessura e coradas em Hematoxilina-Eosina. Em seguida, as lâminas serão analisadas por microscopia óptica, seguindo critérios amplamente conhecidos para identificar e quantificar as alterações de diferentes importâncias histopatológicas, classificadas de acordo com o grau de reversibilidade de cada lesão. Os dados obtidos serão utilizados para comparação entre os indivíduos coletados nas diferentes localidades ao longo da bacia e para determinar possíveis relações entre a presença de poluentes no Rio Doce e os efeitos hepatotóxicos nos peixes.