Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel da integrina avb3 de vesículas extracelulares de células tumorais de mama sobre células endoteliais em modelo de co-cultura.

Processo: 20/11328-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo
Beneficiário:Larissa Thabata Gozzer
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias   Desintegrinas   Metástase   Microambiente tumoral   Vesículas extracelulares

Resumo

O câncer de mama é uma das doenças mais preocupantes por causa da sua alta taxa de morbidade e mortalidade. Ele pode ser causado por diferentes tipos de tumores, os quais, em sua maioria, são tratados por terapia hormonal. No entanto, o câncer de mama triplo negativo é uma exceção a tal tratamento devido ao fato de não possuir receptores para hormônios como estrógeno e progesterona, tornando-se um dos tumores mais agressivos e sem uma terapia específica. A alta taxa de mortalidade está correlacionada à metástase, processo no qual as células tumorais adquirem um fenótipo migratório invasivo, dissociam-se do tumor primário e invadem tecidos adjacentes ou um local distante do sítio primário. As células tumorais secretam vesículas extracelulares (EVs) capazes de alterar o microambiente em que se encontram, tornando-o adequado ao estabelecimento de um novo tumor. Essas vesículas interagem com outras células por meio de integrinas presentes em sua superficie. Integrinas são receptores heterodiméricos de adesão, e fundamentais no contexto de captação das EVs. Dessa forma, EVs reprogramam células estromais saudáveis para atuarem em função do tumor, secretando fatores de remodelamento da matriz extracelular. Na presente proposta, pretende-se verificar o papel da integrina avb3 na transferência de EVs de células de tumor de mama triplo negativo (MDA-MB-231-GFP-CD63) para células endoteliais (HUVEC) e a subsequente transformação fenotípica. Utilizaremos a desintegrina DisBa-01 como uma ferramenta de bloqueio da integrina avb3, visto que nossos trabalhos anteriores mostraram a importância deste receptor no uptake e adesão da EVs. O diferencial deste trabalho está na estratégia experimental, que utilizará o sistema quasi-vivo de co-cultura celular, o qual permite uma comunicação intercelular por meio do fluxo contínuo do meio de cultura. Para as análises de troca de EVs, fenótipo celular e expressão proteica, serão empregados métodos de detecção proteica (Western blotting e citometria de fluxo) e ensaio morfológicos de fluorescência.