Busca avançada
Ano de início
Entree

A Folha Como Estratégia Para a Prevenção de Falha Hidráulica em Plantas da Caatinga

Processo: 20/07982-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Tomas Ferreira Domingues
Beneficiário:Vinicius Dorea de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia vegetal   Consumo de água   Ecofisiologia

Resumo

Pouco se sabe sobre os potenciais efeitos das mudanças climáticas globais sobre um amplo número de espécies vegetais ou à nível de comunidade, principalmente no que diz respeito à mudança dos padrões de precipitação e o aumento das temperaturas em regiões onde há a tendência de agravamento das secas em duração e severidade. A Caatinga se caracteriza por ser uma floresta tropical sazonalmente seca, rica em diversidade e que possui um sistema socioecológico de importância global. Porém esse bioma sempre sofreu e vem sofrendo com o uso insustentável de seus recursos naturais e muito provavelmente será afetado negativamente pelas mudanças climáticas em andamento. Desta forma, o presente trabalho visa investigar atributos hidráulicos foliares associados à vulnerabilidade hidráulica de plantas da Caatinga. Como órgão especializado em captura de carbono e transferência de água para a atmosfera, as folhas detêm cerca de 30% da resistência hidráulica de toda a planta, exercendo papel fundamental na prevenção de falha hidráulica comum em cenários de escassez de água. Estudos recentes demonstraram que as folhas são o principal gargalo hidráulico nas plantas (Sack & Holbrook, 2006) assim, medidas detalhadas da geometria das nervuras auxiliarão em futuros estudos que buscarão modelar padrões de condutância hidráulica (Cochard et al., 2004). Pensando nisso, alguns atributos funcionais hidráulicos serão mensurados nesse estudo, como a densidade de venação, densidade estomática, conteúdo de massa seca por área foliar, entre outros, para correlacionar com a vulnerabilidade das espécies aos eventos de seca. O P50 tem sido usado para prever a mortalidade induzida pela falha hidráulica, tornando-se muito importante para a modelagem da mortalidade de espécies em cenários de mudanças climáticas globais. Esses resultados serão importantes para que se possa prever como algumas das espécies vegetais mais abundantes da Caatinga responderão com a intensificação das secas. Tais informações podem vir a se tornar argumentos para o reforço de políticas de preservação e conservação desse importante bioma brasileiro.