Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da modulação da atividade de Aryl Hydrocarbon Receptor (AHR) sobre a ativação e regulação metabólica de macrófagos de animais magros e obesos

Processo: 20/02573-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Pedro Manoel Mendes de Moraes Vieira
Beneficiário:Bianca Gazieri Castelucci
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/15626-8 - Imunometabolismo em macrófagos e em Linfócitos T nas doenças inflamatórias e metabólicas, AP.JP
Assunto(s):Imunometabolismo   Macrófagos   Obesidade   Receptores de hidrocarboneto arílico   Regulação metabólica   Padrões moleculares associados a patógenos   Tecido adiposo   Modelos animais

Resumo

Macrófagos estão presentes em praticamente todos os tecidos em vertebrados e possuem papel fundamental para a defesa e manutenção da homeostase. Estes fagócitos são dotados de sensores moleculares capazes de detectar organismos invasores pela interação com PAMPs (Pathogen Associated Molecular Patterns), ou modificações no microambiente pelo contato com DAMPs (Damage-Associated Molecular Patterns). Recentemente, o fator de transcrição AHR, foi apontado como um importante regulador do desenvolvimento e função de células do sistema imunitário, com impacto direto sobre a ativação de macrófagos nos perfis pró (M1) e anti-inflamatórios (M2). Além disso, o ao agir em conjunto com vias de sinalização TLR (Toll Like Receptors), este fator gera respostas específicas de macrófagos contra determinados DAMPs ou PAMPs. Estudos recentes demonstram que animais full knockouts para AHR são resistentes ao desenvolvimento da Obesidade, destacando esta molécula como um fator chave para o desenvolvimento e progressão da doença, intimamente relacionada a modificações do microambiente que desencadeiam a ativação de macrófagos no perfil M1 em detrimento do perfil M2. Apesar da reconhecida ação de AHR como sensor ambiental e de sua capacidade de controlar a atuação de macrófagos contra diferentes PAMPs, até o momento, não se sabe como a modulação de AHR afeta a ativação e o metabolismo dos macrófagos presentes em tecidos adiposos homeostático ou obeso. Tendo em vista que a Obesidade afeta aproximadamente 650 milhões de pessoas adultas e a consequente necessidade da compreensão de seus mecanismos de progressão para desenvolvimento de terapias de combate a esta doença, o objetivo deste estudo é determinar o papel de AHR na ativação e regulação metabólica de macrófagos estimulados por PAMPs presentes no ambiente obesogênico in vitro e sua ação sobre a ativação de macrófagos residentes do tecido adiposo de animais magros e obesos in vivo. (AU)