Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel regulatório das prostaglandinas sobre o processo de neovascularização durante a regeneração do tecido muscular esquelético

Processo: 20/05269-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia
Pesquisador responsável:Vanessa Moreira
Beneficiário:Melissa Rodrigues Correia
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Angiogênese   Inflamação   Neovascularização fisiológica   Regeneração tecidual   Metaloproteinases   Prostaglandinas   Músculos   Bothrops asper

Resumo

O processo regeneração do tecido muscular esquelético, após injúria de qualquer natureza, consiste de eventos finamente orquestrados e regulados por diversos fatores, destacando, principalmente, o processo inflamatório que acompanha desde a lesão, até o remodelamento de todos os componentes teciduais. Contudo se o processo de regeneração for incapaz de prosseguir de forma organizada, a regeneração das fibras musculares será deficiente, com intensa formação de fibrose, levando à perda da função muscular. Um dos fatores cruciais para a qualidade do restauro tecidual é o restabelecimento da microcirculação local, essencial para o suprimento de oxigênio e de nutrientes, além da remoção de metabólitos e debris celulares do local da regeneração do tecido muscular. No entanto, além do conhecimento dos fatores que regulam diretamente o processo de angiogênese, como o clássico fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), pouco se compreende a influência dos mediadores pró-inflamatórios nesse fenômeno, uma vez que são conhecidos por atuarem sobre os diversos componentes transcricionais, moleculares e celulares envolvidos no processo de regeneração do tecido muscular esquelético. Dentre os mediadores inflamatórios, destacamos os mediadores lipídicos derivados do ácido araquidônico, em particular as prostaglandinas geradas a partir da via das ciclooxigenases (COX), que são conhecidas por atuarem sobre a proliferação de células miogênicas e na regulação do processo de sua diferenciação, para a formação de novas fibras musculares. No entanto, o efeito das prostaglandinas sobre a neovascularização tecidual, na ocasição da regeneração do tecido muscular esquelético após injúria, ainda é pouco compreendido. De outra parte, o uso de venenos de serpentes do gênero Bothrops pode constituir modelos complexos para aplicação em estudos de regeneração muscular, pois contêm toxinas miotóxicas e outras que comprometem a estrutura de vasos sanguíneos, afetando assim, a qualidade do restauro do tecido muscular. Dessa forma, o presente estudo visa analisar o papel das prostaglandinas sobre a neovascularização do tecido muscular, na ocasião da regeneração do tecido muscular, em modelo de miotoxicidade, induzido pelo veneno de Bothrops asper, e administração ou não de inibidores seletivos e não seletivos para COX-1 e COX-2, quanto: (I) às alterações morfo/histológicas; (II) ao perfil de expressão de COX-1 e 2 e dos marcadores de neovascularização CD3 e colágeno IV; (II) à produção de VEGF e metaloproteinases; (IV) ao grau de hemorragia e; (V) ao grau de restabelecimento da perfusão sanguínea tecidual. O esclarecimento da influência das prostaglandinas sobre a neovascularização, complementará o conhecimento do papel destes mediadores lipídicos sobre o processo de regeneração muscular. Ainda, este estudo contribuirá para a descoberta de novos alvos terapêuticos que visem a qualidade da regeneração do tecido muscular esquelético, após injúria.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)