Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um sistema de gestão de qualidade e software para laboratórios acadêmicos com base na norma NBR ISO/IEC 17025:2017

Processo: 20/14160-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Maria Beatriz Calderan Rodrigues Bonassi
Beneficiário:Maria Beatriz Calderan Rodrigues Bonassi
Empresa:Confiance Gestão Ltda
CNAE: Atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas anteriormente
Vinculado ao auxílio:19/19641-2 - Desenvolvimento de plataforma digital de gestão de qualidade para laboratórios com base na metodologia cg lab, AP.PIPE
Assunto(s):Gestão de qualidade   Desenvolvimento de software   Laboratórios   Normas ISO   Gestão de dados de pesquisa   Administração de recursos humanos

Resumo

Cada vez mais as necessidades do mercado, as exigências das entidades governamentais e a busca por maior confiabilidade dos resultados levam os laboratórios de ensaio e calibração a adotarem Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) específicos. Essa realidade também é observada no ambiente acadêmico, onde se nota o interesse dos laboratórios em firmar parcerias com empresas e instituições para desenvolvimento de produtos de inovação comerciáveis. Tanto do ponto de vista tecnológico como financeiro, soluções inovadoras e acessíveis que colaborem com a adoção de um sistema de gestão eficaz e eficiente no ambiente acadêmico são cada vez mais necessárias, especialmente no Brasil onde os laboratórios dependem de investimentos para manutenção de suas pesquisas. O ambiente acadêmico possui demandas diversas, com requisitos específicos, uma vez que a maioria dos laboratórios universitários realizam pesquisas científicas com diferentes alunos de graduação e pós-graduação, não prestam serviços a clientes e não operam como empresas. Por isso a necessidade de se desenvolver uma metodologia específica, baseada na ISO17025:2017, que se adapte a essa realidade, é essencial e inovadora. Este projeto visa ao desenvolvimento e implementação de um SGQ específico para laboratórios de pesquisa, em ambiente acadêmico, visando o gerenciamento de suas atividades, com base na ISO17025:2017. Para solucionar esse desafio técnico e científico, o projeto propõe, na fase 2, o desenvolvimento de um software, a fim de trazer resultados confiáveis e facilitar o gerenciamento do ambiente laboratorial pelos docentes. Para isso será realizado um estudo de caso, com pesquisa qualitativa em Laboratório de Microbiologia na ESALQ/USP, numa parceria firmada com a empresa Confiance Gestão, proponente deste projeto. Avaliando o estado da arte do assunto em voga, com base na revisão de literatura realizada, verifica-se que os estudos sobre SGQ desenvolvidos até o momento estão voltados para laboratórios de empresas privadas, em sua maioria. Os softwares desenvolvidos em teses e dissertações ainda necessitam avançar, além de estarem no plano teórico. Um sistema de gestão para laboratórios universitários é inédito. Doutro turno, em consulta ao NCBI, os artigos científicos a partir de 2015 já demonstram uma preocupação desde o estabelecimento dos padrões até o cálculo de incerteza dos resultados, garantindo a acurácia dos mesmos. Como resultado, espera-se a criação de um sistema de gestão específico para laboratórios acadêmicos, e uma correspondente solução tecnológica (software) para o gerenciamento laboratorial de forma organizada. Atualmente não há no mercado um modelo comerciável de SGQ e software voltados especificamente para laboratórios universitários. O impacto do projeto é a gestão de dados científicos, recursos humanos e materiais de forma mais eficiente do que vem sendo realizado, graças ao sistema de gestão que será desenvolvido. Dessa forma, o projeto em questão é pioneiro neste segmento, permitindo que as universidades possam competir no mercado com integridade científica e obter investidores, principalmente num cenário de crise na Ciência e de investimentos em PD&I. (AU)