Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do LED violeta e da enzima peroxidase hêmica sobre a eficácia estética, cinética de degradação e citotoxicidade de géis clareadores

Processo: 20/08950-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Carlos Alberto de Souza Costa
Beneficiário:Beatriz Voss Martins
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Clareamento de dente   Esmalte dentário   Odontoblastos   Fotocatálise   Citotoxicidade
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:citotoxicidade | clareamento dental | Odontoblastos | Clareamento

Resumo

A fotocatálise, bem como a catálise química do peróxido de hidrogênio (H2O2) presente nos géis clareadores pode melhorar o resultado estético e reduzir a citotoxicidade causada pelo clareamento dental usado atualmente em consultório. Assim, o objetivo do presente estudo é avaliar a influência da aplicação sobre o esmalte, de uma fita protetora (FP) associada a um primer polimérico (PPol) contendo 10 mg/mL da enzima peroxidase hêmica (HRP), sobre a eficácia clareadora, cinética de degradação e citotoxicidade trans-amelodentinária de géis clareadores com 10%, 20 % e 35% de H2O2, irradiados ou não com LED violeta. Para isso, discos de esmalte e dentina serão submetidos a um protocolo de manchamento e então expostos aos protocolos clareadores. Como controles, um gel comercial à base de 35% de H2O2 (Whiteness HP, FGM) será aplicado por 45 min sobre o esmalte ou nenhum tratamento será realizado. Para determinar a eficácia clareadora, o esmalte dos discos manchados receberá a FP+PPol, seguido da aplicação dos géis clareadores (45 min), os quais serão submetidos ou não à fotocatálise. Então, os discos serão analisados em espectrofotômetro de reflexão-UV (sistema CIE L*a*b*). Após esta etapa, será avaliada a taxa de degradação do H2O2 residual, bem como a produção de radicais hidroxila (OH*). Para avaliar a citotoxicidade trans-amelodentinária, os mesmos procedimentos descritos anteriormente serão realizados em discos de esmalte/dentina, porém agora adaptados em câmaras pulpares artificiais. Os extratos (meio de cultura + componentes dos géis que se difundirem pelos discos) serão recolhidos e imediatamente aplicados sobre cultura de células odontoblastóides MDPC-23. Então, essas células serão avaliadas quanto a viabilidade (MTT), morfologia (MEV) e estresse oxidativo (sonda carboxy-H2DCFDA). A quantificação do total de H2O2 capaz de se difundir pelos discos também será determinada (violeta leuco-cristal/peroxidase). Os dados numéricos obtidos através da aplicação dos protocolos laboratoriais serão submetidos à análise estatística específica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MARTINS, Beatriz Voss. Influência da associação entre biomateriais poliméricos e LED violeta sobre a eficácia estética, cinética de degradação e citotoxicidade de géis clareadores. 2022. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Odontologia. Araraquara Araraquara.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.