Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do açaí na resposta cortical auditiva e na variabilidade da frequência cardíaca

Processo: 20/00108-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Ana Claudia Figueiredo Frizzo
Beneficiário:Milena Sonsini Machado
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Audiologia   Sistema nervoso autônomo   Antioxidantes   Potencial evocado   Euterpe oleraceae   Frequência cardíaca   Audiometria   Variabilidade da frequência cardíaca

Resumo

O açaí (Euterpe oleracea), um fruto popular no Brasil, composto por antocianinas, tem efeito inibitório nos processos de oxidação gerada pelos radicais livres e pelo estresse oxidativo. Essa ação inibitória, previne doenças como diabetes, dislipidemia e doença cardiovascular. Evidências científicas sugerem que esses efeitos anti-oxidantes do açaí são também capazes de influenciar o processamento de informações auditivas e os índices da modulação autonômica da frequência cardíaca. Objetivo: Verificar os efeitos da suplementação com açaí sobre a percepção auditiva e sistema nervoso autônomo. Método: O estudo será realizado em indivíduos adultos jovens de 18 a 30 anos de idade do sexo feminino. Não serão analisados indivíduos com distúrbios cardiorrespiratório, neurológicos, bem como aquelas que estiverem sob medicação que influencie o sistema nervoso autônomo. As voluntárias serão examinadas em dois dias diferentes com intervalo de sete dias entre eles. No primeiro dia será realizada a avaliação inicial (idade, sexo, peso, altura, índice de massa corpórea (IMC), pressão arterial, circunferência de quadril, cintura e abdominal) e avaliação audiológica (anamnese audiológica, audiometria tonal limiar e imitanciometria). Em seguida, será registrada a frequência cardíaca para análise da VFC (Variabilidade da Frequência Cardíaca) durante 10 minutos em repouso e 10 minutos durante o registro do Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência (PEALL). Após as coletas dessas variáveis, as voluntárias irão ingerir cápsulas de açaí (750mg) ou placebo, as etapas serão denominadas de protocolo de intervenção e protocolo placebo, cuja ordem de execução será estabelecida por meio de um processo de randomização e gerenciado por um terceiro pesquisador que fará o controle duplo-cego do conteúdo das cápsulas. Após meia hora da ingestão das cápsulas, os procedimentos supracitados serão repetidos. A VFC e o PEALL serão comparados antes e após a ingestão. No segundo dia, os mesmos procedimentos serão realizados e para efeito de randomização o terceiro pesquisador verificará qual protocolo foi realizado no primeiro dia (placebo ou intervenção) e entregará para voluntária a cápsula não ingerida.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)