Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da expressão de oncogenes em co-cultura de células BEAS-2B e macrófago tipo 1 ou tipo 2 expostas à antracose e ao material particulado da poluição atmosférica (PM2,5)

Processo: 19/03586-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Mariangela Macchione
Beneficiário:Daniela Perroni Frias
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Oncogenes   Macrófagos   Antracose

Resumo

Antracose é um termo usado para descrever a pigmentação preta dos pulmões e árvore traqueobrônquica causada pelo depósito de partículas de carbono inaladas. Acredita-se que esta condição seja resultado de danos epiteliais em diferentes áreas, que levam à cicatrização aberrante e fibrose nos pulmões e na parede brônquica. Evidências recentes indicam que o particulado da poluição atmosférica tem um papel importante no estabelecimento da antracose e possivelmente no desenvolvimento de câncer no sistema respiratório, devido às substâncias carcinogênicas provenientes da poluição que permanecem depositadas nas vias aéreas. O objetivo deste trabalho é estudar a expressão de oncogenes em co-cultura de células de brônquios humanos normais (BEAS-2B) e macrófagos tipo 1 e tipo 2 expostas ao particulado da poluição ambiental e da antracose. Para tanto, o material particulado ambiental será coletado em filtros de policarbonato próximo à região de grande fluxo veicular e o material antracótico será coletado de cadáver do Serviço de Verificação de Óbitos da Capital da USP (SVO). Após a exposição da co-cultura a diferentes concentrações de cada particulado, serão realizados testes de viabilidade (MTT e LDH) e serão avaliadas as expressões de 84 oncogenes por kit de microarray. Destes genes, aqueles com expressão mais alterada serão testados para metilação diferenciada de regiões CpG por RT-PCR e Western Blotting para quantificação de proteínas.