Busca avançada
Ano de início
Entree

Seleção sexual, teoria de reforço e isolamento reprodutivo: as fronteiras na diversificação de Physalaemus (Anura)

Processo: 20/11125-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia
Pesquisador responsável:Luciana Bolsoni Lourenço
Beneficiário:Fábio Perin de Sá
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Especiação   Genética populacional   Seleção natural

Resumo

Isolamento reprodutivo é um mecanismo associado à diversificação. Incompatibilidades ecofenotípicas atuam como mecanismos pré-zigóticos, tipicamente associados às pressões da seleção sexual. Quando tais barreiras são inexistentes ou ineficazes, mecanismos de isolamento pós-zigóticos (incompatibilidades cromossômicas ou genômicas) podem ocorrer, promovendo baixa adaptabilidade dos híbridos. A teoria de reforço postula que a seleção natural intensifica o isolamento por meio da debilitação dos híbridos. Entretanto, evidências empíricas são escassas e a verdadeira relevância de tal teoria é incerta, sendo raros os estudos que integrem estruturações geográficas, ecofenotípicas e genômicas. As rãs-cachorro, anuros neotropicais do clado Physalaemus cuvieri-P. ephippifer (Leptodactylidae, Leiuperinae), apresentam similaridades ecofenotípicas, mas complexa variabilidade cromossômica e múltiplas linhagens genéticas bem estruturadas. Similaridades ecofenotípicas podem dificultar a distinção interespecífica, abrandando o isolamento pré-zigótico de tal forma que barreiras pós-zigóticas possam ser cruciais à manutenção da distinção das espécies. Assim, P. cuvieri-P. ephippifer é um excelente sistema para a melhor compreensão do papel da seleção sexual e do reforço no isolamento reprodutivo e na diversificação de anuros neotropicais. Este projeto propõe focalmente compreender a diversificação das linhagens no subclado da zona transicional das espécies, testando as atuações da seleção sexual e do reforço no isolamento reprodutivo. Por meio de dados ecofenotípicos e moleculares, buscaremos compreender: (i) a estruturação populacional das linhagens; (ii) os mecanismos de isolamento pré-zigóticos, testando preferências durante a escolha dos parceiros; e (iii) os mecanismos de isolamento pós-zigóticos, testando a viabilidade de cruzamentos induzidos.