Busca avançada
Ano de início
Entree

Tradução, adaptação cultural e validação do Quality of Dying and Death para a língua portuguesa (Brasil)

Processo: 20/12200-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Pesquisador responsável:Silmara Meneguin
Beneficiário:Vinícius Martin Trevisan
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/08804-8 - Tradução, adaptação cultural e validação do quality of dying and death para a língua portuguesa (brasil), AP.R
Assunto(s):Morte   Tradução   Inquéritos e questionários

Resumo

A ressignificação dos cuidados no fim da vida e as percepções associadas ao processo morrer são cada vez mais valorizadas frente ao princípio da qualidade, configurando boa morte àquela permeada por processo livre de angústias e sofrimento potencialmente evitáveis para o paciente, familiares e cuidadores. O Quality of Dying and Death (QODD) foi desenvolvido para se mensurar a qualidade da morte e do morrer, e o grau das preferências e percepções dos familiares/cuidadores diante do processo de morte. Trata-se de estudo metodológico que tem como objetivo traduzir, adaptar e validar o quality of dying and death para a língua portuguesa brasileira. Trata-se de estudo metodológico que será dividido em duas etapas: tradução conforme diretrizes internacionais, do qual participarão um grupo de revisores (3 tradutores, 2 avaliadores independentes), 6 especialistas e 20 profissionais da saúde (fase de pré-teste); validação com 280 familiares/cuidadores formais/informais de pacientes que foram a óbito na UTI adulto do Hospital Estadual e Hospital de Base de Bauru, bem como no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu. Serão incluídos familiares ou cuidadores formais/informais que acompanharam o processo de morte do paciente durante o período de internação na UTI; maiores de 18 anos; de ambos os sexos e que consentirem na participação. Os participantes serão entrevistados período de 30 a x dias após o óbito. Serão excluídos familiares ou cuidadores formais/informais que referirem não terem condições emocionais de participar da pesquisa e/ou não forem possíveis de localização. A análise estatística será realizada utilizando o software IBM SPSS 22. Será avaliada a consistência interna dos itens, confiabilidade do teste reteste e existência do efeito floor and ceiling, bem dimensionalidade do instrumento, estrutura fatorial e correlação com aspectos sociodemográficos dos participantes.