Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas de ouro encapsuladas em nanocarreadores de pesticidas como potencial marcador para se compreender o seu destino em plantas

Processo: 20/12769-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2020
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Renato Grillo
Beneficiário:Mariana Monteiro de Lima Forini
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/21004-5 - Agricultura, micro/nanotecnologia e ambiente: da avaliação dos mecanismos de ação a estudos de transporte e toxicidade, AP.TEM
Assunto(s):Nanotecnologia   Nanopartículas de ouro   Nanopesticidas   Coloides   Espectroscopia   Absorção atômica   Microscopia eletrônica

Resumo

O desenvolvimento de nanocarreadores biodegradáveis de liberação para pesticidas vem trazendo avanços significativos para a agricultura na última década. Tais nanopesticidas podem reduzir a degradação físico-química de ativos no campo, reduzindo assim sua toxicidade e aumentando sua eficiência. Entretanto, devido à dificuldade de se rastrear tais nanocarreadores no ambiente, pouco se conhece sobre o destino deles em organismos terrestres e aquáticos. Nesse sentido, surge a proposta deste projeto, que consiste em desenvolver nanocarreadores lipídicos, os quais já vem sendo estudados como nanopesticidas, e associar nanopartículas de ouro com característica hidrofóbica em seu interior. Assim, se espera obter um nanocarreador marcado que poderá ser rastreado e analisado por técnicas espectroscópicas já existentes. Logo, este projeto envolve a fabricação e otimização de nanocarreadores híbridos, bem como o estudo do destino deles em macrófitas aquáticas através de técnicas como espectroscopia de absorção atômica, infravermelho e microscopia eletrônica acoplada com espectroscopia de energia dispersiva de raios X. Deste modo, espera-se com estes resultados compreender a interação entre nanopesticidas e plantas aquáticas, podendo assim contribuir para o desenvolvimento de futuros carreadores mais precisos e seguros para o controle de pragas na agricultura.