Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da inclinação negativa da cabeça sobre a pressão intracraniana e controle cardiovascular em indivíduos saudáveis: perspectivas para viagens espaciais

Processo: 20/13708-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Thiago Luiz de Russo
Beneficiário:Laura Hellen dos Santos Cerqueira Gomes
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/25569-2 - Efeito da inclinação negativa da cabeça sobre a pressão intracraniana e controle cardiovascular em indivíduos saudáveis: perspectivas para viagens espaciais, AP.R
Assunto(s):Sistema nervoso autônomo

Resumo

O aumento da pressão intracraniana (PIC) em ambientes de microgravidade pode diminuir a complacência cerebral e prejudicar seus mecanismos compensatórios, diminuindo o fluxo sanguíneo cerebral (FSC). Com isso, as funções encefálicas podem ser afetadas, tornando este fenômeno preocupante para os astronautas, especialmente em viagens interplanetárias de longa duração. A elevação da PIC ocorre geralmente em decorrência do deslocamento de fluídos dos membros inferiores e tronco para a caixa craniana. Alterações no controle hemodinâmico também podem ser observadas como o aumento da ação do sistema nervoso autônomo (SNA) simpático (SNASi), perpetuando este ciclo de PIC elevada e funções cerebrais diminuídas. O padrão ouro para se mensurar a PIC é por meio invasivo, porém este método possui desvantagens importantes e, por isto, aparelhos de mensuração não invasiva têm sido desenvolvidos e estudados. Objetivo: investigar os efeitos hemodinâmicos em modelo de microgravidade (inclinação negativa da cabeça); caracterizar as alterações imediatas da morfologia da PIC durante e após os testes; relacionar estas alterações com o comportamento do SNA através da avaliação da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e da sensibilidade barorreflexa (SBR). Metodologia: estudo de caráter transversal com 50 indivíduos saudáveis e ativos, determinado por exames bioquímicos, questionários, composição corporal, exame clínico e teste de exercício cardiopulmonar (TECP). Serão realizados cinco encontros: o primeiro será para esclarecer sobre a natureza do projeto, preenchimento do questionário sociodemográfico e do termo de consentimento. No segundo será feito o exame de sangue, e no terceiro dia serão feitos a absorciometria de raio X de dupla energia (DXA) e o TECP. Nos demais dias, serão avaliados a PIC e função do SNA pela VFC e SBR antes, durante e após a manobra postural, a qual consistirá na inclinação do indivíduo na mesa ortostática em -6° e -15°. Estatística: Testes de normalidade (Kolmogorov-Smirnov) e homogeneidade (Levene) serão aplicados. Para verificar a relação entre as posturas e as variáveis da PIC e cardiovasculares, serão realizados os testes ANOVA de medidas repetidas ou Friedman, caso paramétrico ou não paramétrico, respectivamente. Para todas as análises será considerado um nível de significância de 5% e um intervalo de confiança de 95%.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)