Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da ativação de Sirtuína 1 no restabelecimento da autofagia em podócitos

Processo: 20/15557-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Karina Thieme
Beneficiário:Ana Paula Malavolta Luz
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/00573-4 - O papel da (hidroxi)metilação do DNA na disfunção de podócitos: perspectivas epigenéticas para o tratamento da Doença Renal Crônica, AP.JP
Assunto(s):Fisiologia renal   Autofagia   Podócitos   Sirtuína 1   Permeabilidade   Estudo clínico

Resumo

A doença renal diabética (DRD) é a principal causa de doença renal terminal no mundo. Atualmente os tratamentos baseiam-se principalmente no controle da glicemia e da pressão arterial, porém estudos clínicos sugerem que estes possuem um efeito positivo discreto ou neutro na progressão da DRD uma vez que a disfunção renal já tenha sido estabelecida. A hiperglicemia, um dos principais elementos coadjuvantes no desenvolvimento da DRD, pode levar à disfunção de vários tipos celulares e consequentemente falha na função renal e eliminação de proteínas na urina, principalmente a albumina. Dentre as células mais afetadas estão os podócitos, células altamente diferenciadas, que não se replicam e que são, juntamente com as células endoteliais, responsáveis pela manutenção da barreira de filtração glomerular. A autofagia, um processo de reciclagem celular, é muito importante para o bom funcionamento dos podócitos. A expressão de Sirtuína 1, uma enzima da família das histonas desacetilases dependentes de NAD, apresenta diversos efeitos nefroprotetores que incluem a manutenção da citoarquitetura celular, efeitos anti-fibróticos e anti-oxidativos, bem como a regulação do metabolismo energético e da autofagia. Além disso, sabe-se que a expressão de SIRT1 encontra-se diminuída na DRD, o que poderia estar associado à disfunção celular. Assim, este estudo tem como objetivo estudar se a ativação específica de SIRT 1 pode auxiliar no restabelecimento da autofagia e da função de podócitos expostos à alta glicose. Utilizando uma abordagem in vitro, cultura celular de podócitos humanos serão expostos à alta glicose e/ou ativador da SIRT1 (SRT1720). Serão estudados os efeitos da ativação de SIRT1 sobre: a) a expressão de genes e proteínas que são marcadores da diferenciação de podócitos e da autofagia; b) a permeabilidade celular à albumina. Esperamos com os resultados deste estudo elucidar novos mecanismos que possam prevenir a disfunção de podócitos e assim contribuir para a busca de estratégias terapêuticas que melhorem a progressão da DRD.