Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do biperideno administrado pós-trauma cranioencefálico: pós-processamento de ressonância magnética funcional.

Processo: 20/13586-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Pesquisador responsável:Luiz Eugenio Araujo de Moraes Mello
Beneficiário:André Monteiro Paschoal
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/24561-5 - Epileptogênese, biomarcadores e epilepsia pós-traumática, AP.TEM
Assunto(s):Biperideno   Epilepsia pós-traumática   Imagem por ressonância magnética funcional

Resumo

O traumatismo cranioencefálico (TCE) é um problema de saúde pública, com consideráveis custos socio-econômicos. O TCE é uma das causas mais importantes de epilepsia secundária (neste caso, chamada de epilepsia pós-traumática, EPT). A fisiopatologia da EPT decorre de lesões do parênquima cerebral que desencadeiam respostas neurodegenerativas e inflamatórias e levam a alterações moleculares, estruturais e eletrofisiológicas (e.g. oscilações de alta frequência e a depressão alastrante cortical) que acabam resultando na EPT. A conduta terapêutica indicada para o TCE pode envolver medicamentos e/ou procedimentos cirúrgicos, não havendo ainda qualquer intervenção terapêutica efetiva para diminuir a ocorrência de EPT. Diversos estudos com modelos animais realizados em nosso laboratório mostraram que drogas que modificam os processos de plasticidade neuronal, se administradas sob certas condições, tem o potencial de modificar o curso natural da EPT. Entre essas drogas, o biperideno (anti-colinérgico de uso clinico para Parkinson) diminuiu a incidência e intensidade de crises epilépticas espontâneas e retardou o aparecimento das mesmas em um modelo de epilepsia , mostrando ser um excelente candidato a agente anti-epileptogênico. Pretende-se aqui testar a eficácia e segurança do uso do biperideno em pacientes adultos, vítimas de TCE moderados e graves. Os pacientes serão tratados na fase aguda do trauma, objetivando evitar a formação do foco epileptogênico. Nesta proposta, faremos uma avaliação por meio de imagens de ressonância magnética funcional e estrutural dos efeitos da administração do biperideno.