Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões espaço-temporais dos casos e óbitos por dengue, fatores associados e identificação de áreas de risco em duas escalas geográficas: municípios do Brasil e áreas intraurbanas de Campinas, estado de São Paulo

Processo: 20/12371-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Francisco Chiaravalloti Neto
Beneficiário:Patricia Marques Moralejo Bermudi
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Análise espaço-temporal   Brasil   Dengue   Incidência   Mortalidade

Resumo

Introdução: A dengue é uma doença considerada um importante problema de saúde pública, cuja incidência expandiu-se de forma abrupta nas últimas décadas. Este aumento tem sido relacionado, entre outras coisas, com as mudanças das condições climáticas que podem afetar diferentes aspectos da doença. Atualmente, não há uma vacina disponível e a identificação de áreas de risco para dengue é dada pela vigilância entomológica das formas imaturas do vetor, que possui limitações e vem sofrendo críticas. Logo, é importante considerar e buscar alternativas para o controle da doença. Objetivos: Identificar áreas e fatores de risco para incidência, mortalidade e letalidade por dengue, avaliar a grau de sobreposição nos resultados encontrados e investigar em que medida a incidência poderia predizer a mortalidade e a letalidade, considerando-se uma arquitetura espaço-temporal e duas escalas geográficas: municípios brasileiros e áreas intraurbanas de Campinas, SP, no período entre 2000 e 2019. Métodos: Estudo ecológico, no qual serão consideradas a incidência, letalidade e a mortalidade por dengue de todos os municípios do Brasil e dos setores censitários do município de Campinas, tendo assim uma visão inter e intramunicipal. Para isso, serão identificados aglomerados (espaciais, espaço-temporais e de variação espacial das tendências temporais) de alto risco, por meio de estatísticas de varredura, com a comparação de análise individual e múltipla, esta última considerando a incidência e mortalidade em conjunto. Também, serão feitas as modelagens das incidência, letalidade e mortalidade para identificar áreas de risco, considerando variáveis demográficas, socioeconômicas, ambientais, climáticas e de assistência à saúde, utilizando arquiteturas espaço-temporais e distribuições de probabilidade de Poisson, em uma abordagem considerando modelos Bayesianos Gaussianos latentes. Algumas variáveis intramunicpais serão obtidas em conjunto com um projeto maior, por meio inteligência artificial e uso de imagens de satélite. A escolha de variáveis dos modelos será baseada em Grafos Acíclicos Dirigidos (DAGs) e, ao final, será construído um DAG único para que se possa mapear os fatores de risco. Para os municípios brasileiros, também será feita a predição da letalidade e da mortalidade, com base na predição de incidência que está sendo devolvida em outro projeto também vinculado a este.

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa::
Desigualdade social e racial é fator importante por trás de óbitos relacionados à Covid-19