Busca avançada
Ano de início
Entree

Telemonitorização da saturação de oxigênio e fadiga durante um circuito de atividades de vida diária em pacientes pós hospitalização por COVID- 19

Processo: 20/16301-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Valéria Amorim Pires Di Lorenzo
Beneficiário:Lívia Maria Petilli Zopelari
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Continuidade da assistência ao paciente   Alta hospitalar   Telemonitorização   Oximetria   Sequelas da COVID-19   Hipóxia   Fadiga   Pandemias   Infecções por Coronavirus   COVID-19   Coronavirus da síndrome respiratória aguda grave 2

Resumo

A COVID-19, doença causada pelo SARS-COV-2 pode provocar desde uma infecção assintomática a uma infecção grave com necessidade de hospitalização. Os comprometimentos da doença podem ser tanto respiratórios quanto multissistêmicos e em relação aos comprometimentos respiratórios, destaca-se a hipoxemia arterial, que pode estar presente no repouso ou durante o exercício. A presença da hipoxemia associada a sintomas de dispneia e fadiga pode gerar limitações na execução das atividades de vida diária (AVD). Sabe-se que os pacientes após alta hospitalar por COVID-19 podem apresentar sequelas respiratórias, entretanto, pouco se conhece sobre a presença de dessaturação de oxigênio (queda da saturação periférica de oxigênio (SpO2) > 4%) e a fadiga nestes pacientes durante as AVD na fase pós aguda da doença. Objetivos: Identificar a presença de dessaturação de oxigênio e fadiga durante a simulação de um circuito de AVD em pacientes pós alta hospitalar por COVID-19 e verificar se há associação entre desfechos clínicos e a presença de dessaturação de oxigênio e fadiga nas AVD. Métodos: Trata-se de um estudo transversal observacional, em que serão recrutados pacientes de 35 à 85 anos, pós alta hospitalar por COVID-19. Estes serão avaliados em dois momentos por teleconsulta. No primeiro momento será realizada uma anamnese, na qual serão avaliados cognição e equilíbrio para atender aos critérios de inclusão e no segundo momento será realizada uma simulação de um circuito de AVD, envolvendo quatro atividades com monitorização da SpO2 e fadiga (BORG 0-10). Os dados serão analisados pelo programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), pelos testes de Shapiro-Wilk, teste t, teste ANOVA, coeficiente de correlação de Sperman e Pearson com nível de significância p >0,05. Resultados esperados: Identificar a possível existência de dessaturação de oxigênio e fadiga durante um circuito de AVD em pacientes comprometidos pela COVID-19, após alta hospitalar. (AU)